Polícia apreende 40 mil brinquedos falsificados no Rio

Agência Brasil

RIO - Cerca de 40 mil brinquedos falsificados foram apreendidos nesta segunda-feira no Mercadão de Madureira, na zona norte da cidade, durante uma operação da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial. A polícia saiu do mercado com um caminhão e mais um furgão lotados de brinquedos variados, como bonecos, carrinhos e jogos infantis.

Segundo o chefe de Operações da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial, Ricardo Toledo, participaram da ação no mercado de Madureira 21 policiais e peritos das marcas de brinquedos apreendidas. Ele informou que 18 estabelecimentos foram autuados e os donos vão responder por crime contra a propriedade intelectual.

Antes da operação policial, o presidente da Comissão Antipirataria da Assembléia Legislativa do Rio, deputado Dionísio Lins,

começou a distribuir no mercado e também na Estação das Barcas, na Praça XV, a cartilha Olho Vivo: Diga Não à Pirataria. O deputado disse que a Alerj recebe muitas denúncias sobre a venda de produtos falsificados de origem chinesa no Mercadão.

Dionísio Lins alerta que brinquedos falsos podem fazer mal à saúde da criança. Além disso, a compra de tais produtos compromete a arrecadação de impostos no estado. - Comprar produto pirata, além de constrangimento na saúde, cria um problema sério, que é desempregar, desaquecer

a economia do estado.

De acordo com o deputado, a sonegação de impostos, só no estado do Rio, chega a cerca de R$ 188 milhões por ano. - Além disso, por causa da pirataria, deixam de ser gerados aproximadamente 18 mil empregos. Com a cartilha, procuramos conscientizar a população para não consumir esses produtos.

Lins citou uma pesquisa da Fundação Getulio Vargas, segundo a qual 93,8% da população da capital fluminense compra produtos piratas. A cartilha será distribuída nesta terça-feira na zona oeste da cidade.