Absolvição de PM provoca revolta

JB Online

RIO - O advogado de acusação Nilo Batista classificou o julgamento do cabo da PM William de Paula, absolvido da acusação de matar o menino João Roberto, em julho, de "vergonhoso". Para o criminalista, ficou a impressão de que os jurados concordaram com a ação do policial. William foi condenado por lesões corporais leves e terá de prestar serviços comunitários durante um ano.

- Parece que a morte do João Roberto não teve relevância para os jurados. Para eles, é como se o policial estivesse cumprindo seu dever. Como se eles tivessem decretado que existe pena de morte para ladrões de carros -criticou. - Não vai acabar agora (o julgamento). Vai ter segundo tempo.

Desolada, a mãe do menino, Alessandra Amorim Soares, fez um desabafo.

- Meu filho morreu em vão. Estou chocada.

O pai de João Roberto, o taxista Paulo Roberto Barbosa Soares, que não consegue dar continuidade ao tabalho desde a morte do filho, ficou revoltado com a sentença.

- Ele (William) estará de volta às ruas. É inacreditável.