Secretarias se unem para ajudar as vítimas das enchentes em Campos

JB Online

RIO - O governo do Estado do Rio desencadeou, entre a noite desta terça e manhã desta quarta-feira, uma série de ações para socorrer as vítimas das enchentes registradas no município de Campos dos Goytacazes, em função das fortes chuvas dos últimos dias.

Nesta quarta, uma equipe formada por médicos do Corpo de Bombeiros foi de helicóptero para a cidade, para atender as pessoas que se encontram nos 13 abrigos provisórios montados na cidade para acolher os desabrigados. Ao todo, 385 famílias cerca de 1,3 mil pessoas estão em abrigos montados em prédios públicos concentrados principalmente nos bairros Guarus, Ururaí, Itapera, Lagoa de Cima, Morro do Côco, Lagoa Feira e Parque Aurora. As primeiras vítimas já socorridas pela equipe de médicos foram duas grávidas, que estava em uma área isolada e foi resgatada com a ajuda da aeronave.

Além disso, o quadro do Corpo de Bombeiros do município (de 254 soldados) está sendo reforçado com o envio de 115 soldados de quartéis do Rio de Janeiro, já que os bombeiros ficarão responsáveis pelas organizações dos alojamentos. A decisão foi tomada, hoje, pelo comandante geral do Corpo de Bombeiros Pedro Machado, que está com o secretário de Estado de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, em Campos desde a noite de ontem, acompanhando pessoalmente a situação.

A expectativa agora é que a secretaria municipal de Saúde reforce também suas ações no serviço de assistência aos desabrigados.

- Estamos preocupados com as doenças que surgem após os casos de inundações, como viroses, gripe, leptospirose, hepatite A e diarréias. Por isso já determinei que o Superintende de Vigilância em Saúde, Victor Berbara, se desloque para cá, para ajudar no trabalho dos agentes de vigilância do município nos abrigos disse Côrtes.

Também na manhã de hoje, Côrtes, técnicos da Serla e da Universidade Estadual do Norte Fluminense, sobrevoaram, durante uma hora e 20 minutos, de helicóptero, a cidade. O grupo pôde observar a existência de diversos diques construídos irregularmente em trechos de rios que cortam propriedades rurais localizadas dentro do município.

As obras, segundo o professor José Carlos Mendonça, da Universidade Estadual do Norte Fluminense, podem ter contribuído para o alagamento registrado e só a demolição permitirá o escoamento das águas que tomam boa parte do município.

Em conjunto com a secretária de Estado do Ambiente, Marilene Ramos, e o promotor Marcelo Bastos Lessa, ficou decidido pela implosão dos açudes, o que deve ocorrer o mais rápido possível talvez ainda na tarde desta quarta-feira.

Uma empresa especializada neste tipo de serviço foi contratada pela Serla e o material que será usado na operação já está a caminho de Campos, em um caminhão blindado. Já os técnicos em implosão aguardam apenas a melhora do tempo para que possam se deslocar, de helicóptero, para a cidade, de acordo com a prefeitura.