Ipem começa analisar produtos apreendidos em Operação Natal

JB Online

RIO - Fiscais da Superintendência de Qualidade, e da Superintendência de Metrologia Legal do Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro (Ipem/RJ), realizaram durante duas semanas a operação "Feliz Natal". Eles verificaram se brinquedos, lâmpadas, roupas, panetones, azeites e frutas cristalizadas, entre outros produtos, estavam sendo comercializados dentro das normas técnicas determinadas. Foram visitadas lojas de varejo e shoppings da Zona Norte, Zona Sul, Zona Oeste e Centro da cidade; além de São Gonçalo e Niterói. Todo o material coletado foi encaminhado para os laboratórios do instituto, que começa a analisá-los nesta quinta-feira às 9h.

- Com a proximidade das festas de fim de ano o número de reclamações e dúvidas sobre os produtos natalinos aumentam consideravelmente - explica Soraya Santos, presidente do órgão.

Ela informou ainda que o consumidor pode e deve participar da fiscalização. Para isso, basta que ele ligue, em caso de dúvida em relação a algum produto, para a ouvidoria do Ipem/RJ através do telefone: 0800.282.3040, e faça sua reclamação.

Soraya orienta para que os consumidores fiquem atentos na hora da compra, e só levem para casa os produtos que possuam o selo do Inmetro.

- No caso dos brinquedos, que nessa época do ano têm uma grande procura, é importante que ele observe alguns detalhes, como por exemplo, se ele possui a faixa etária da criança para seu manuseio. Nas roupas, é necessário que haja a identificação da composição têxtil do vestuário. Já nos produtos embalados, observar sempre a validade do produto e se ele está violado - disse.

Ela lembra também que no caso dos produtos importados, todos devem trazer impresso nas embalagens às informações em português.

Os produtos que estiverem fora das normas exigidas serão apreendidos e encaminhados para a sede do Instituto. Os responsáveis terão um prazo de quinze dias para apresentarem a nota fiscal de compra e origem, caso isso não ocorra, eles estarão sujeito ao pagamento de multa que varia de R$ 100 a R$ 60 mil.