TJ cadastra 955 doadores em Campanha de Medula Óssea

JB Online

RIO - A Campanha de Medula Óssea realizada nesta terça-feira no Tribunal de Justiça do Rio conseguiu cadastrar 955 pessoas para o banco de dados conhecido como Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome).

Lá, ficam armazenadas as informações pessoais do candidato à doação e o resultado da tipagem do HLA - características genéticas importantes para a seleção de um doador. A iniciativa foi uma parceria do TJRJ com a Mútua dos Magistrados, a Associação dos Magistrados do Estado do Rio (Amaerj) e o Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti (Hemorio).

- O TJ busca a Justiça participativa. Temos que estimular campanhas de solidariedade, auxiliar a quem precisa - afirmou o presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargador José Carlos Schmidt Murta Ribeiro.

A enfermeira Slayne Alves Ribeiro, do Hemorio, ressaltou a importância da adesão a estas campanhas pelo fato de ser remota a chance de se encontrar um doador compatível.

- O movimento foi muito bom, as pessoas aderiram bastante - disse, citando que a maior parte dos transplantes de medula óssea são feitos em doentes com leucemia.

Genivaldo Pires Pina, que está desempregado, soube da campanha ao passar em frente ao TJ e resolveu participar.

- É sempre bom ajudar. É ótimo saber que há iniciativas como esta -, declarou.

A serventuária Teresinha Macedo Frota, da 15ª Câmara Cível, também compareceu.

- A iniciativa foi maravilhosa. Aproveitei este dia para participar.

No evento, foram colhidas amostras de sangue, por meio de uma punção venosa comum, que farão parte de um cadastro de possíveis doadores de medula óssea. Entre os requisitos básicos, estão ter idade entre 18 e 55 anos e gozar de boa saúde.

Segundo informações do Hemorio, a medula óssea, encontrada no interior dos ossos, contém as células que dão origem aos glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas. Quando esta produção de sangue é comprometida, geralmente, é necessário um transplante de medula.

O paciente que precisa de transplante de medula óssea tem apenas 25% de chance de encontrar um doador compatível entre irmãos do mesmo pai e da mesma mãe. Quando não há um doador na família, procura-se por um no Redome. A partir, então, da compatibilidade, o potencial doador cadastrado é chamado para exames confirmatórios e, caso ela seja confirmada, poderá decidir se deseja realmente doar ou não.

A probabilidade de compatibilidade de tipagem de HLA - características genéticas importantes para a seleção de um doador - entre indivíduos, no Brasil, é de uma em cem mil, segundo dados do Instituto.

Quem quiser fazer parte do cadastro, deve dirigir ao próprio Hemorio, na Rua Frei Caneca, nº 8, Centro, ou obter mais informações pelo Disque Sangue (0800 282 0708), de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h.