Paes anuncia duas secretarias para o PT

Pedro Vieira, Jornal do Brasil

RIO - O prefeito eleito, Eduardo Paes (PMDB), anunciou mais dois secretários para trabalhar já na transição de governos. Para a secretaria de Habitação, o deputado federal Jorge Bittar (PT) foi escolhido. Para a pasta de Desenvolvimento Econômico, o desconhecido Marcelo Henrique da Costa foi o nome indicado pelos petistas.

Depois da derrota de Alessandro Molon, o Partido dos Trabalhadores se mostrou um aliado fundamental na campanha de Paes. O esforço não foi em vão.

Contruimos algumas parcerias na campanha, e o PT foi muito importante no segundo turno. Entendi que era necessário conversar com o partido e convidá-los para compor o governo explicou Paes, que elogiou o deputado federal. O Bittar é um político que eu conheço. É um dos quadros mais qualificados que temos e muito importante politicamente no país.

Apesar de não ser um técnico na área, o petista prometeu retomar o programa Favela-Bairro e não poupou críticas à atual gestão.

A Secretaria de Habitação teve um orçamento de R$ 233 milhões em 2007, mas só gastou R$ 48 milhões. Em 2008, a despesa autorizada era de R$ 266 milhões, mas a prefeitura só utilizou R$ 82 milhões. O prefeito gastou pouco porque remanejou o dinheiro da habitação para a Cidade da Música e para pagar as dívidas do (estádio) Engenhão, cuja obra saiu mais cara que o previsto disse Bittar.

Quadro técnico

O petista informou que, para 2009, a sua pasta vai contar com R$ 372 milhões, aproximadamente, sendo que R$ 91 milhões serão destinados para o programa de habitação e saneamento.

Depois de Bittar, foi a vez de o secretário do Desenvolvimento Econômico ser anunciado. Para Paes, Marcelo Henrique Costa é um quadro técnico designado pelo PT . Costa destacou que vai dialogar com as outras secretarias, mas preferiu ser breve no discurso, por falta de experiência no meio.

Como não tenho carreira política longa, nem um diagnóstico detalhado do que precisa ser feito, não vou me alongar. Mas, ao longo da transição, vou traçar as principais metas afirmou Costa, que prometeu discutir o Imposto Sobre Serviço (ISS). Quero evitar qualquer atrito com a área financeira do município, mas é evidente que a questão do ISS terá que ser discutida.