Temporão anuncia R$ 1 bi contra dengue e pede mutirão a prefeito

Fernanda Thurler, Jornal do Brasil

RIO - Preocupado com o risco de haver uma nova epidemia de dengue no próximo verão, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, fez um apelo aos prefeitos eleitos para que incluam a discussão sobre a prevenção da doença na agenda das equipes de transição. Temporão participou nesta segunda, em Petrópolis, do Encontro dos Prefeitos Eleitos do Estado, onde foi anunciado aumento de R$ 180 milhões na verba para combate à dengue em todo o país.

Passaremos de R$ 780 milhões para R$ 1 bilhão o valor destinado à contratação de pessoal e à aquisição de equipamentos e de insumos detalhou Temporão. Queremos a garantia de que a dengue seja tratada como uma questão fundamental nas equipes de transição, para que haja continuidade na política de prevenção ou que sejam feitas mudanças onde se perceba que há uma fragilidade nas estratégias, no enfrentamento, na política de prevenção e na mobilização da sociedade. O sinal é amarelo. Temos de nos preparar para o pior.

Temporão chegou ao Palácio Quitandinha acompanhado do secretário de Estado de Saúde, Sérgio Côrtes, e do futuro secretário municipal de Saúde, Hans Dohmann.

Estamos tomando ciência dos números do município a partir de hoje. Agora, não temos ferramentas para criar um gabinete de crise, mas já estamos trabalhando integrados com o Estado e a União. Nosso trabalho efetivo só vai poder começar em 1º de janeiro afirmou Dohmann, acrescentando que o maior desafio será mobilizar a sociedade na prevenção. Côrtes concorda:

Os investimentos são bons, mas não o suficiente se a população não trabalhar em conjunto com o Estado.

Temporão pediu ainda aos prefeitos que divulguem para a população o Levantamento de Índice Rápido de Infestação (Lira) para dengue, que será apresentado em nível nacional no próximo dia 20. Segundo o ministro, esses números são fundamentais para direcionar a ação e ajudar a mobilizar a população.

Baixada Fluminense

Os locais mais preocupantes, na opinião de Temporão, são a Zona Norte da capital, pelo índice de infestação, e a Baixada Fluminense, pela circulação do sorotipo 2 no verão deste ano.

Para o prefeito reeleito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias (PT), os prefeitos da Baixada devem ter duas grandes preocupações: a dengue e as chuvas de verão que costumam assolar a região com enchentes.

Há três semanas, 12 carros de som estão percorrendo o município ara alertar e dar dicas à população revelou Lindberg.

Alcides Rolim (PT), eleito prefeito de Belford Roxo, já montou um gabinete de transição na saúde:

Quero evitar que a mesma desgraça se repita no verão.

Quero evitar que a me