Paes entra no combate à violência

Fred Raposo, Jornal do Brasil

RIO - Um encontro entre o ministro da Justiça, Tarso Genro, e o prefeito eleito Eduardo Paes, traçou na segunda as bases para a incrementação, no Rio, do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), do governo federal, que deve funcionar como espinha dorsal para captação de recursos do município para a área de segurança pública em 2009. O projeto do governo federal, que prevê investimentos em todo o país de aproximadamente R$ 6,7 bilhões até 2012, inclui 93 linhas de financiamento.

É uma janela enorme em que temos a possibilidade de obter (recursos) dos mais variados programas disse Paes, que acrescentou não conhecer "todos eles". Fui introduzido em alguns aqui. Mas vamos nos debruçar para, se possível, pegar recursos nas 93 linhas de financiamento.

Para receber o aporte de verbas, o prefeito eleito explicou que criará o Gabinete Integrado de Segurança Pública, que seria uma das condições para a parceria com o governo federal. Afirmou ainda que alguns secretários, "designados para as mais variadas áreas coordenadas pela Casa Civil", se reunirão com uma equipe técnica do Pronasci nas próximas duas semanas.

O foco principal é agir na prevenção destacou Paes. Reequipar e requalificar a Guarda Municipal é uma possibilidade, assim como introduzir monitoramento por câmeras e trabalhar com programas voltados para jovens. Mas vamos forçar muito a mão para ter recursos que contribuam para a prevenção.

Críticas a Cesar Maia

A reunião, que ocorreu no gabinete de transição da prefeitura, na Fundação Getúlio Vargas, em Botafogo, foi marcada ainda por críticas à gestão Cesar Maia. Segundo Tarso Genro, o Pronasci transferiu ao município, em 2008, cerca de R$ 1,5 milhão, enquanto "prefeituras em outras partes do país, de 500 ou 700 mil habitantes, captaram quatro ou cinco vezes mais para essas políticas preventivas".

Não é que os recursos não tenham sido aproveitados, é que a prefeitura teve pouco interesse em apresentar projetos sublinhou Tarso Genro. Agora, vamos inverter esse ritmo, abrir um conjunto de negociações e fazer os contratos para que, no ano que vem, a prefeitura possa entrar mais duramente no combate ao crime.

Eduardo Paes acentuou o contraste da quantia que teria sido repassada à prefeitura, emendando que os recursos recebidos pelo governo do Estado superariam a casa dos R$ 100 milhões.

Existem R$ 22 milhões que seriam tarefas de prefeitura na área de ação social, e que foram parar também no governo do Estado por essa falta de interesse da prefeitura assinalou o futuro prefeito.

Por e-mail, o prefeito Cesar Maia, que retornou ao Rio recentemente de viagem ao Uzbequistão, disse apenas que "o ministro mentiu". "Mas vamos esperar os R$ 100 milhões para o ano que vem e checar o quanto mentiu", escreveu Cesar Maia, trocando a quantia que o prefeito eleito tentará obter no ano que vem pelos recursos repassados ao Estado.

Tarso e Paes almoçaram juntos no prédio da FGV. Em seguida, o ministro rumou para a sede da Polícia Federal, onde encontrou-se com o superintendente Valdinho Jacinto Caetano. Já Paes seguiu para São Paulo, onde gravará programa de televisão com o prefeito reeleito Gilberto Kassab.

O encontro ocorre menos de uma semana após o futuro secretário de Ordem Pública, Rodrigo Bethlem, declarar ao JB que buscará recursos para conter a criminalidade junto à Secretaria Nacional de Segurança Pública.