Sol atrapalha movimentação em cemitérios da cidade

Eloisa Leandro, JB Online

RIO - O carioca teve um Dia de Finados diferente este ano. O sol apareceu e em nada se pareceu com os dias chuvosos dos anos anteriores. Menos de três milhões de pessoas passaram pelos cemitérios administrados pela Santa Casa de Misericórdia, ou seja, 13 dos 21 da cidade do Rio de Janeiro, onde prestaram homenagens a parentes, amigos e personalidades mortos. No entanto, a movimentação não foi a esperada na maioria dos cemitérios, que estivam um volume superior a três milhões de pessoas. As administrações locais acreditam que o sol quente pode ter reduzido o número de visitantes, já que muitos aproveitaram o dia para ir à praia.

Diferentemente dos anos anteriores, o trânsito não apresentou retenções. Homens da Guarda Municipal e da Polícia Militar fizeram a segurança dos acessos.

A Arquidiocese do Rio de Janeiro realizou missas de hora em hora nos principais cemitérios da cidade.

Para receber os visitantes, a Santa Casa de Misericórdia abriu os portões dos cemitérios às 6h e só fechou com a saída do último visitante.

No São João Batista, em Botafogo, cerca de 600 mil pessoas passaram pelo local no fim de semana. Segundo a administração, os túmulos mais visitados foram os dos cantores Tom Jobim, Clara Nunes, Carmem Miranda, Cazuza e mais visitado, o da milagreira Odete Vidal de Oliveira, a Odetinha, falecida aos 9 anos, em 1939.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais