Secretário admite que câmeras de Bangu 8 estavam desligadas

JB Online

RIO - O secretário de Estado de Administração Penitenciária, Cesar Rubens Monteiro Carvalho, admitiu que as câmeras de segurança do presídio Bangu 8 estavam desligadas na segunda-feira, dia da fuga do ex-policial militar Ricardo Teixeira Cruz, o Batman, principal matador da milícia "Liga da Justiça", que atua na Zona Oeste. O secretário foi ouvido por membros das comissões de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), na manhã desta sexta-feira. Cesar Rubens responsabilizou o diretor de Bangu 3, tenente-coronel José Roberto do Amaral Lourenço, assassinado há duas semanas, pela própria morte por ter dispensado o segurança.

O diretor de Bangu 8, Luiz Henrique Ferreira Burgos, exonerado devido às falhas nas câmeras de vigilância do presídio, foi apontado pelo secretário como o responsável pela fuga de Batman.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais