Área do Leblon que resiste ao charme 'retrô'

Raphael Lima, Jornal do Brasil

RIO - Um dos mais tradicionais bairros do Rio, o Leblon vem ganhando um trecho que em nada lembra a sofisticação da Zona Sul carioca. Na Rua Bartolomeu Mitre, na altura do cruzamento com a Rua Mário Ribeiro passagem para a Barra da Tijuca , a desordem urbana não apenas descaracteriza a área como já começa a prejudicar o comércio.

Num flagrante descaso, um grande número de oficinas que ocupam as calçadas com carros e equipamentos, bem em frente ao 23º BPM (Leblon). Ao lado, a Rua Tubira, que liga a Bartolomeu Mitre à Adalberto Ferreira, tem metade da faixa transformada em estacionamento para os veículos das oficinas.

O estudante Rafael Thuin, morador da região, reclamou da falta de conscientização em alguns casos.

Temos que desviar dos carros estacionados irregularmente, falta iluminação à noite. Isso acaba gerando uma falta de atrativos para novas lojas que procuram o bairro, segregando muito o comércio da região.

A última vítima da região foi uma lanchonete do Bob's, que ficava quase na esquina da Rua Mário Ribeiro. Não suportando o baixo movimento, eles fecharam as portas recentemente. Próximo ali, na esquina da Rua Humberto de Campos, uma boate também não resistiu ao baixo movimento e deu lugar a um novo restaurante há cerca de dois meses.

Segundo a presidente da Câmara Comunitária do Leblon, Evelyn Rosenzweig, aquela região sempre passou por dificuldades de desenvolvimento.

São inúmeros pontos de ônibus, que atraem camelôs, há falta de periodicidade na fiscalização por parte dos órgãos necessários, o que faz com que a região fique estagnada desabafa Evelyn. As lojas da rua já possuem um consumidor diferenciado, já que não são de roupas, não existem muitos restaurantes, se elas não respeitarem essas normas básicas, como não ocupar calçadas, por exemplo, qualquer outro tipo de comércio que aparecer no local não conseguirá público suficiente.

Ainda de acordo com a dirigente, muitos moradores do bairro reclamam da falta de segurança no local. Os números do Instituto de Segurança Pública indicam que na área de responsabilidade do 23° BPM (Leblon), os roubos a pedestres e a veículos aumentaram de julho de 2007 para julho deste ano, último mês analisado. Só o roubo a pedestres mais que triplicou.

Revitalização

Um exemplo que deu certo no bairro aconteceu no final da Rua Ataulfo de Paiva. No local, havia muitas lojas que não se atualizaram e acabaram não sendo muito procuradas pelo público consumidor do bairro. Mas com a chegada de novos shoppings na região, a decadência do local conseguiu ser evitada e o comércio foi se adequando às novas tendências.

Na próxima semana, a Câmara Comunitária vai apresentar um projeto que visa a revitalização do bairro, feito junto à iniciativa privada.

É preciso sempre renovar, mesmo que ousando. Como o Leblon é um bairro que está sempre em evidência, principalmente em novelas, por exemplo, a área precisa ser mantida para continuar valorizada ressaltou Evelyn.