Horário de verão começa no próximo domingo entre saudações e críticas

Janaína Linhares e Luciana Abade, Jornal do Brasil

RIO - Para uma cidade tão linda quanto o Rio de Janeiro nada melhor do que uma hora a mais de sol todos os dias para aproveitar o que de melhor o lugar tem para oferecer. Pois bem, os cariocas que gostam de curtir a praia até mais tarde, sair do trabalho ainda com o céu claro e usufruir das riquezas naturais do Rio podem se alegrar, pois à 0h de domingo os relógios devem ser adiantados em uma hora para que se dê início a 38ª edição do horário de verão. Regidos por diferentes motivos, muitos cariocas já se mostram ansiosos para o início da medida.

É muito bom ter uma hora a mais de sol, com o horário de verão fico na praia até o dia acabar declarou a estudante Marcella Fuss, que sempre corre para a praia depois da aula. O bom é que com a chegada do horário de verão significa que o ano está acabando, o verão está chegando e as férias também.

Para o morador do Jardim Botânico Marcus Rodrigues a chegada do horário de verão é motivo de alegria. Pescador amador no Mirante do Leblon, Marcus garante que a medida, que tem como objetivo principal economizar energia elétrica, é ideal para seu hobby.

Com o dia mais longo, quem gosta de pescar pode aproveitar muito mais a atividade. O melhor horário para a pesca é na caidinha da tarde e início da noite, por isso o horário de verão é ideal porque dá tempo de sair do trabalho e correr para cá.

Segurança de um hotel na orla de Ipanema, Luciano Nogueira garante que uma hora a mais para aproveitar o dia só traz coisas boas.

Aqui a gente trabalha com gorjeta, quanto mais tempo de praia mais gente e mais dinheiro. Além do mais é um prazer ficar mais tempo neste visual lindo de Ipanema, tudo fica melhor, não dá para ter mau humor.

Nem tudo é festa

Mas o horário de verão não traz apenas benefícios e alegria. A alteração de horário exige uma reprogramação do corpo para dormir e acordar uma hora mais cedo. A mudança provoca impactos no organismo e as pessoas podem levar algumas semanas para se adaptar.

Segundo a fisiologista da Universidade de Brasília Keila Santana a questão é mais complexa do que parece. Apesar da maioria das pessoas se adaptarem já na primeira semana ao novo horário, as secreções hormonais levam de 30 a 40 dias para se normalizarem. Para evitar contratempos, a fisiologista sugere que nos primeiros dias as pessoas comam alimentos leves e durmam cedo.

Não posso julgar se a economia vale a pena. Mas uma coisa é fato: as pessoas de poder aquisitivo mais baixo são as mais prejudicadas porque têm que acordar mais cedo para irem trabalhar diz Keila.