Cedae encontra 'gatos' em fábrica de quentinhas e oficina de barcos

JB Online

RIO - Técnicos da Assessoria de Segurança Empresarial da Nova Cedae e policiais da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) encontraram, na tarde desta quinta-feira, ligações clandestinas na fábrica de quentinhas JPF Alimentação Ltda., na Rua Nova Jerusalém, em Bonsucesso, e na Associação de Empresas Marina do Governador, na Rua Pires da Mota, na Praia do Jequiá, na Ilha do Governador, ambos na Zona Norte do Rio.

Na operação, batizada de Gato Gordo, foi verificada uma ligação clandestina de 3/4 de diâmetro de polegada, instalada antes do hidrômetro, que abastecia ilegalmente a fábrica de quentinhas, em Bonsucesso. Na indústria, trabalham cerca de 40 funcionários que fornecem diariamente mil refeições a hospitais, empresas e laboratórios. A gerente da fábrica JPF Alimentação Ltda. foi conduzida à DDSD para prestar esclarecimentos sobre a irregularidade.

Na Associação de Empresas Marina do Governador, que tem 90 funcionários, foi verificada uma ligação clandestina de 3/4 de polegada, que abastecia irregularmente a oficina, que recupera e faz consertos de barcos, lanchas e iates. A oficina de barcos estava com a água cortada desde 2002, segundo a Cedae. Além disso, o hidrômetro do imóvel tinha sido retirado na mesma data. O proprietário do estabelecimento comercial foi intimado a comparecer à DDSD.

- A operação Gato Gordo foi criada para combater irregularidades em grandes estabelecimentos comerciais, como fábricas e oficinas, por exemplo. Devemos ficar atentos a esses setores que utilizam grande volume de água, pois, além de causarem prejuízos financeiros, podem prejudicar seriamente o abastecimento de água na região em que funcionam - disse o presidente da Cedae, Wagner Victer, ressaltando que furto de água é crime previsto no Código Penal.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais