TRF decide não julgar caso Álvaro Lins

Portal Terra

RIO - O Tribunal Regional Federal da 2ª Região decidiu que não compete a ele apreciar a denúncia da Operação Segurança Pública S/A, deflagrada em maio pela Polícia Federal (PF). A ação culminou com o pedido de prisão do ex-deputado Álvaro Lins e o indiciamento do ex-governador Anthony Garotinho. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

O tribunal manteve, porém, as oito prisões decretadas pela relatora do caso, a juíza convocada Marcia Helena Nunes. Agora, a denúncia será apreciada na 4ª Vara Federal Criminal do Rio.

Preso em flagrante na operação por lavagem de dinheiro, Álvaro Lins, que não apresenta rendimentos compatíveis ao seu patrimônio, também estaria sendo investigado pela PF por evasão de divisas. Há suspeitas de que o ex-deputado teria enviado dinheiro para o exterior de forma irregular.

Na operação, foram presos, além de Lins, os delegados Ricardo Hallak, ex-chefe da Polícia Civil, Luiz Carlos dos Santos, e os agentes Hélio Machado, o Helinho, Mario Franklin Mustange, o Marinho, e Alcides Sodré, o Alcides Cabeção.

A denúncia apontou a existência de uma organização criminosa, liderada por Lins e sustentada politicamente por Garotinho. O grupo acusado usaria a estrutura da Polícia Civil para praticar lavagem de dinheiro, formação de quadrilha armada, facilitação de contrabando e corrupção.