Polícia investiga se sangue em carro de PMs é de jovem desaparecida

JB Online

RIO - A Polícia civil investiga se o sangue encontrado nos carros dos PMs que fizeram a ocorrência do desaparecimento da engenheira Patrícia Amieiro, de 24 anos, há 1 mês, pertence à jovem. Patrícia sumiu após sofrer um acidente de carro no Canal de Marapendi, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

Os três carros do 31º BPM (Barra da Tijuca) que participaram da ocorrência apresentaram manchas de sangue. Para o exame de DNA foram colhidas amostras de sangue dos pais da engenheira. O resultado deve sair em 15 dias.

Segundo o delegado Marcos Reimão , da Delegacia Anti-seqüestro (DAS), que investiga o caso, a atitude de um dos policiais é tida como suspeita. O PM teria confessado que jogou uma pedra contra o vidro dianteiro do veículo para ver o interior do veículo.

- Ele agiu intencionalmente. Ele quis quebrar aquele vidro. Não sei se para observar mesmo ou se para ocultar uma outra coisa, um possível impacto de projétil de arma de fogo -disse Reimão.

No carro de Patrícia, um exame microscópico do Centro Tecnológico do Exército revelou que as duas marcas encontradas no carro da engenheira são mesmo de tiros. A perícia foi realizada com amostras de uma peça que fica sobre o porta-malas.

Com o resultado, a perícia recolheu as 15 armas dos policiais militares que estavam de plantão na madrugada do dia 14. Exames, que já estão sendo feitos, ajudarão a revelar se as balas fragmentadas no morto do carro partiram ou não das armas dos PMs.

A Polícia Militar suspeita que um corpo encontrado na madrugada deste domingo, boiando na Praia da Bica, na Ilha do Governador, subúrbio do Rio, possa ser da engenheira. A informação é do 17º BPM (Ilha).

Segundo a polícia, apesar do corpo estar em estado de decomposição, dá para ver que é de uma mulher branca. O local onde foi encontrado, na Baía de Guanabara, também reforça a suspeita que poderia ser da engenheira, já que a correnteza poderia tê-lo arrastado até lá.

Na madrugada do dia 14 de junho, a engenheira Patrícia Amieiro, de 24 anos, deixou uma casa de shows, na Urca, Zona Sul da cidade. Depois, ela seguiu para a Barra da Tijuca, na Zona Oeste, onde mora com os pais.

O carro de Patrícia saiu da pista poucos metros antes de um viaduto. A mais de 90 km/h, avançou pela calçadae caiu numa ribanceira. O carro só parou nas pedras, na beira de um canal, que desemboca no mar.

De acordo com a polícia, ao lado do viaduto, há sempre um carro da Polícia Militar, com homens de plantão. Dois PMs foram os primeiros a chegar ao carro e disseram não ter visto ninguém dentro do veículo.

De acordo com o delegado, a linha de investigação passa agora a ter um acidente associado a impactos de arma de fogo que foram efetuados contra o veículo da vítima.

Fotos também mostram que o cinto de segurança do motorista estava afivelado na hora em que o carro caiu da ribanceira.

Com informações do RJ TV

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais