Bombeiro é preso por porte de cocaína no Rio

Portal Terra

RIO - O cabo do Corpo de Bombeiro Alan Rivail Ajas da Silva foi preso, por volta das 23h40 de sexta-feira, em flagrante por policiais do 1º BPM (Estácio) com um sacolé de cocaína em um dos acessos aos morros da Fallet e do Fogueteiro, no Rio Comprido, Zona Norte. De acordo com PMs, o bombeiro trabalha como motorista para a procuradora-geral do Estado, Lúcia Léa Guimarães Rodrigues, e estava com o carro oficial.

A prisão ocorreu quando o bombeiro foi abordado pelos policiais, em uma escadaria da rua Almirante Alexandrino. Dentro do carro, foi encontrada uma placa de um veículo. Alan, no entanto, não soube explicar aos PMs a origem da placa.

A procuradora afirmou ontem à tarde que ficou indignada ao saber que seu motorista estava comprando drogas com o carro oficial na entrada do morro. Lúcia disse ainda que quer rigor nas investigações e punição ao bombeiro. A assessoria de imprensa do Palácio Guanabara divulgou nota informando que a procuradora decidiu "devolver o cabo bombeiro para o Corpo de Bombeiros, onde ele será processado pelo ato criminoso de que é acusado."

De acordo com os policiais, o cabo tentou suborná-los com R$ 100 para que o deixassem ir embora. Alan foi levado à 6ª Delegacia de Polícia (Cidade Nova), onde prestou depoimento, e alegou que estaria comprando a droga para um primo. O bombeiro será autuado por tráfico de drogas e corrupção, e responderá ao processo detido.

O relações públicas do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel Jadyr Sabbas, disse que, por ser militar, Alan foi transferido da delegacia:

- Ele está no Grupamento Especial Prisional do Corpo de Bombeiros em São Cristóvão - afirmou.

A Secretaria Estadual de Segurança preferiu não se pronunciar.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais