Governo inicia censo em Manguinhos na segunda-feira

JB Online

RIO - Começa nesta segunda-feira, às 10h, em Manguinhos, um censo na comunidade que irá oferecer ao governo uma radiografia da região. Além das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o governo pretende definir programas e intervenções necessárias na região para melhorar a qualidade de vida dos moradores, levando escolas, biblioteca, áreas de lazer e programas de incentivo à legalização de atividades comerciais.

Para o vice-governador e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão, esse é um momento importante para o estado, pois será possível ter uma noção real do tamanho das comunidades, já que as últimas informações obtidas são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2000. Desde então, frisou, muita coisa mudou na região. O censo fará um mapa social e econômico de todas as áreas.

- Esses documentos que serão elaborados a partir do censo nas comunidades de Manguinhos, Alemão e Rocinha serão importantes para definirmos políticas de incentivo ao desenvolvimento da região. Queremos legalizar pequenos comércios familiares e atrair para essas áreas novas empresas, que possam oferecer postos de trabalho para os moradores reiterou Pezão.

O levantamento será feito em todas as grandes comunidades que recebem as obras do PAC, como forma de se ter uma radiografia fiel das favelas, que será compartilhada por todos os órgãos públicos, para o desenvolvimento de políticas de incentivo. Pezão lembrou, por exemplo, que essas áreas têm uma concentração superior a grande parte das cidades do interior do estado, mas possuem estruturas públicas infinitamente inferiores.

O município de Japeri, por exemplo, com cerca de 96 mil habitantes, tem 10 unidades de saúde e 27 escolas públicas de Ensino Fundamental, enquanto a Rocinha, onde vivem cerca de 120 mil habitantes, conta apenas com um posto de saúde e três escolas.

Uma das diretrizes do projeto é aproveitar os moradores da região onde acontecerão as intervenções, priorizando as mulheres. No caso do Censo, grande parte dos recenseadores é do sexo feminino. Como o trabalho será realizado por pessoas que conhecem bem as favelas e a rotina de seus moradores, sua execução será mais fácil e, de acordo com o subsecretário executivo de Obras, Hudson Braga, permitirá maior fidelidade do documento final.

- As pessoas estão ansiosas pela chegada das obras, com a construção de novas unidades habitacionais, que abrigarão aqueles que moram hoje em situação de risco, escolas, áreas de lazer. Vai ser uma grande intervenção que transformará essas comunidades em verdadeiros bairros, com cidadania e respeito a todos concluiu Braga.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais