Cremerj: Remanejamento de médicos pode causar caos no Rio

JB Online

RIO - A decisão do prefeito Cesar Maia e da União de remanejar médicos dos hospitais do Rio começa a causar caos em alguns hospitais, segundo avaliação do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj). A presidente, Márcia Rosa de Araujo, afirma que a medida causou déficit de profissionais nos principais hospitais da cidade, prejudicando o atendimento à população.

De acordo com levantamento do Cremerj, o Hospital Miguel Couto, na Gávea, já teve uma baixa de sete clínicos, quatro anestesistas, um pediatra, três cirurgiões plásticos e um oftalmologista. Já o Hospital da Lagoa, no Jardim Botânico, precisou reduzir o número de salas para cirurgia. De 12 no total, ficaram apenas seis. No Hospital do Andaraí, seis cirurgiões foram obrigados a deixar a unidade. Neste hospital, a soma de funcionários perdidos representa 25% da sua força total de trabalho.

Segundo a presidente do Conselho, a decisão prejudicou significativamente alguns serviços do Estado, causando desestruturação no setor. - O problema é que alguns serviços são'desmontados. Se você tira seis anestesistas, terá que diminuir o número de cirurgias. Com isso, as filas irão aumentar. Mesmo que haja uma reposição posterior, fazer a coisa de forma abrupta causa desestruturação na rede e prejuízo ao atendimento da população - afirma Márcia.

O Cremerj entrou com uma ação civil pública contra a prefeitura e a União, na semana passada, para tentar manter os médicos nas unidades e evitar um problema ainda maior nas emergências. O resultado deve sair entre os dias 7 e 9 de julho. No entanto, ela reiterou que a outra solução seria a realização de concursos públicos para repor esses profissionais.

- Entramos com essa ação para tentar manter os médicos no serviço para, posteriormente, o governo realizar concursos públicos e repor os profissionais, mas com salários dignos. Porque não adianta fazer concursos com os salários nos valores atuais, eles precisam ser adequados - completou.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais