Ministro diz que tortura a jornalistas é intolerável

JB Online

RIO - O ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, Paulo Vannuchi, disse nesta segunda-feira por meio de nota que o caso de tortura cometida por policiais, que se intitulam de milícia, em uma equipe do jornal O Dia e um morador da favela Batan, me Realengo, Zona Norte do Rio, é chocante e constitui flagrante desrespeito aos Direitos Humanos e à liberdade de imprensa no país.

- O fato é ainda mais intolerável no momento em que comemoramos os 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, da Organização das Nações Unidas (ONU) disse o ministro por meio de nota.

Segue nota abaixo:

É fundamental reafirmar os valores democráticos que norteiam a nossa sociedade, exigindo das autoridades competentes que a investigação desse crime brutal vá até as últimas conseqüências e que haja punição exemplar com base na Lei 9.455, de 1997, visto que, à luz do Direito Internacional, a tortura tipifica crime hediondo, imprescritível e inafiançável. A Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH/PR) expressa sua solidariedade, compartilhando sua dor e indignação, às vítimas, seus familiares, amigos e todos os colegas da imprensa.