Temporão discute o Complexo Econômico-Industrial da Saúde

JB Online

RIO - O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, participam, nesta segunda e terça-feiras, no auditório do BNDES, no Rio, do Seminário sobre o Complexo Econômico-Industrial da Saúde. O evento discutirá a evolução recente do complexo e as ações para o desenvolvimento da base produtiva de bens e serviços com foco na inovação. No mundo, a saúde responde por 20% das despesas com pesquisa e desenvolvimento tecnológico, com valor de US$ 185 bilhões. No entanto, países de média e baixa renda respondem por apenas 3% desse esforço. No Brasil, a cadeia produtiva da saúde representa cerca de 8% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, mobilizando cerca de R$ 160 bilhões anuais. Em termos de empregos diretos e indiretos, são 9,5 milhões de trabalhadores. O mercado farmacêutico brasileiro é superior a R$ 25 bilhões, o de equipamentos médico-hospitalares a R$ 9 bilhões e o de vacinas, reagentes e hemoderivados constituem R$ 3 bilhões.

Não obstante ter participação expressiva no mercado, principalmente como consumidor, o Brasil necessita fomentar a indústria nacional, que perdeu competitividade a partir dos anos 80, acumulando déficits anuais de US$ 700 milhões. A atração de investimentos e o fortalecimento da produção nacional são fundamentais para o aumento da competitividade do produto brasileiro e para o incentivo à fabricação nacional de materiais e equipamentos médico-hospitalares, hoje importados pelo governo.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais