Justiça mantém proibição da Marcha da Maconha no Rio

JB Online

RIO - O Tribunal de Justiça (TJ) do Rio decidiu manter a proibição da Marcha da Maconha, que seria realizada neste domingo, às 16h, na orla do Rio. Os organizadores da passeata a favor da legalização da droga informaram que vão fazer no sábado uma manifestação pelo Dia da Luta pela Liberdade de Expressão. A polêmica começou neste sábado quando o plantão do TJ acatou o pedido do Ministério Público estadual e vetou a manifestação. Os manifestantes recorreram, mas o veto foi mantido.

O outro evento contrário à legalização da maconha reuniu cerca de 200 pessoas, na manhã deste domingo, em Copacabana, Zona Sul do Rio. O protesto foi batizado de "Rio em Defesa da Família". Os participantes comemoraram a decisão da Justiça de vetar a marcha favorável ao entorpecente.

O protesto contra a Marcha da Maconha foi acompanhado por fiscais do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Eles proibiram um carro de som com o nome do deputado estadual Dionísio Lins (PP) de participar do evento.

Um homem foi preso na tarde deste domingo, no Arpoador, na Zona Sul do Rio, ao chegar ao local de onde os manifestantes da Marcha da Maconha partiriam, com um cão que trazia pendurado uma placa com os dizeres A estupidez é essência do preconceito. Legalize a Canabis . O detido foi levado para a 14ª DP (Leblon).