Cabral se confunde e chama Dilma de 'presidente'

Portal Terra

RIO - O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), chamou a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, de "presidente", em um possível ato falho hoje durante cerimônia de início das obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) em Itaboraí (RJ).

- Esse empreendimento tem a rubrica da presidente Dilma. Ou melhor, da ministra Dilma. Já estou confundindo as bolas - afirmou Cabral.

Dilma vinha sendo apontada como possível candidata à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2010. A ministra no entanto, negou, até o momento, qualquer intenção de se candidatar. Na semana passada, em outro evento com a presença de Dilma, Lula afirmou que quer fazer "um sucessor".

Ambiente

Em relação ao projeto, Cabral destacou que licença ambiental para as obras foi liberada com a condição de que o empreendimento não deve prejudicar o meio ambiente.

- Não haverá lançamento industrial na Baía de Guanabara. O complexo terá um equipamento de US$ 200 milhões para reduzir a poluição do ar, o denitrificador. Além disso, 6 milhões de árvores serão plantadas nas nascentes de dois rios. São medidas compensatórias que nossas autoridades ambientais firmaram junto com a Petrobras - assegurou Cabral.

No lançamento das obras, o presidente Lula atribuiu à vontade política do governo estadual a liberação da licença em menos de um ano.

- Em seis meses, o companheiro Minc (Carlos Minc, secretário estadual de Meio Ambiente) entregou ao presidente da Petrobras a licença feita por sua equipe - ressaltou Lula, acrescentando que a liberação das licenças esbarra, em muitos casos, na legislação e na falta de vontade política.