Dengue: reunião divulga novos números em estabelecimentos particulares

JB Online

RIO - O presidente da Federação dos Hospitais do Estado do Rio de Janeiro (FEHERJ) e da Confederação Nacional de Saúde (CNS), José Carlos de Souza Abrahão, divulgou no final da tarde desta sexta-feira uma nova avaliação com os números da dengue nos estabelecimentos particulares.

O levantamento refere-se ao período compreendido entre 21 e 27 deste mês. Foram ouvidos 40 do total de 100 hospitais e clínicas privados que oferecem atendimento de emergência no município do Rio de Janeiro. O estudo revelou que manteve-se a média de um volume superior em mais de 50% - chegando inclusive a dobrar em algumas unidades - nos atendimentos de emergência por conta da dengue. A novidade constatada através deste último estudo é que, em apenas uma semana, houve um aumento de 20% do total de pacientes encaminhados para internação nestes estabelecimentos.

Segundo o presidente das entidades, José Carlos Abrahão, esses números levaram muitas unidades a aumentar em cerca de 30% o seu efetivo, contratando médicos, enfermeiros e recepcionistas.

Abrahão, foi convocado ainda pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão, a participar, na mesma tarde, de uma reunião do Comitê Gestor de Crise na SES, no centro do Rio, junto com Sergio Côrtes, e de diretores da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), de operadoras de planos de saúde e presidentes de sindicatos e associações que congregam hospitais privados.

Um dos assuntos discutidos refere-se a uma possível parceria da rede hospitalar privada com o governo para internação em unidades privadas de pacientes encaminhados pela Secretaria estadual de Saúde devido à ausência de vagas na rede pública.

Ficou decidido ainda que o cartão-dengue deverá ser implantado imediatamente em todos os estabelecimentos de serviços de saúde, públicos e privados, para fins de controle epidemiológico e acompanhamento da doença. Também foi reiterada a obrigatoriedade da notificação imediata dos possíveis casos de dengue às secretarias municipais (e estadual) de saúde.

A reunião definiu ainda que, a partir da próxima segunda-feira, o Comitê Gestor de Crise do Ministério da Saúde irá divulgar periodicamente os números da evolução da dengue, não só na rede pública, como também na privada, conforme informou o próprio secretário Sérgio Côrtes. Para tanto, haverá neste comitê representantes também dos hospitais privados e das operadoras.

O último balanço da doença divulgado pelo Ministério da Saúde, durante a reunião, dá conta de um total de 43 mil casos confirmados de dengue e 54 óbitos no Rio de Janeiro.