Coderte oferece áreas para combate à dengue

JB Online

RIO - O presidente da Companhia de Desenvolvimento Rodoviário e Terminais do Estado do Rio de Janeiro (Coderte), Ronaldo Francisco, encaminhou ofício ao secretário de Estado de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Cortês, colocando os terminais rodoviários e as áreas de estacionamento administrados pela companhia à disposição para que equipes médicas prestem atendimento extra-hospitalar às pessoas com suspeita de dengue.

No documento, o presidente disponibiliza os terminais rodoviários Américo Fontenelle (Central do Brasil), Mariano Procópio (Praça Mauá), Menezes Cortes (Castelo), Campo Grande (Zona Oeste), Nilópolis e Nova Iguaçu (Baixada Fluminense), Vassouras, Mendes e Itatiaia (interior do estado), além das áreas de estacionamento denominadas Arcos e Arcos A (Lapa), Rua Miguel Couto, Praça XI B e F (Rua Carmo Neto, fundos da estação do Metrô), Nilo Peçanha (Castelo) e Rabicho da Tijuca (garagem subterrânea próxima à Praça Saens Peña).

A utilização das áreas da Coderte pelas autoridades médico-sanitárias poderá se estender ao terreno situado na Avenida Presidente Vargas, em frente à Central do Brasil, junto à pista lateral em direção a Candelária, antigo depósito de carros apreendidos, cujas carcaças, por determinação do governador Sérgio Cabral e iniciativa da Coderte, foram levadas em fins de novembro passado para uma área coberta, de propriedade do governo estadual, no bairro de Triagem.

Segundo Ronaldo Francisco, os locais oferecidos poderão ser utilizados imediatamente. Os terminais rodoviários são pontos por onde circulam milhares de pessoas diariamente, em sua maioria em viagens entre o Rio e a Baixada Fluminense.

Com informações do governo do estado.