Sobe para 11 deputados da Alerj suspeitos de fraude

Portal Terra

RIO - Subiu para 11 o número de deputados acusados de envolvimento em um suposto esquema de fraude ao auxílio-educação, na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Assessores responsáveis por contratar funcionários de gabinetes colocariam "fantasmas" nas vagas para ficar com o salário e o benefício. O suspeito mais recente é o parlamentar Anabal Souza (PHS).

Segundo o autor da denúncia ao Conselho de Ética da Alerj, deputado Marcelo Freixo (Psol), o número de parlamentares envolvidos pode subir ainda mais. "Infelizmente, não se tem clareza do tamanho dessa quadrilha. É difícil saber o que ela atingiu durante o ano de 2007", disse.

Freixo espera que os 7 deputados que já foram chamados para prestar depoimento no Conselho de Ética tenham a punição divulgada na semana que vem. Ele não acredita que todos percam o mandato.

- Alguns podem e devem perder, mas esses deputados têm níveis de envolvimento bastante diferenciados - afirmou.

Já foram ouvidos pelo Conselho de Ética esta semana os deputados João Peixoto (PSDC), Tucalo (PSC), Edino Fonseca (PR), Renata do Posto (PTB), Délio Leal e Álvaro Lins (PMDB). O depoimento de Jane Cozzolino (PTC) foi marcado para a próxima segunda-feira.

Outros três parlamentares foram acusados de envolvimento mas ainda não foram chamados para depor: João Pedro e Marcelino d'Almeida (DEM); e Marco Figueiredo (PSC).