Dengue: Governo do Rio busca apoio para aumentar número de leitos

Ana Luisa Marzano, Agência Brasil

SÃO PAULO - Representantes da Secretaria Estadual de Saúde (SES) do Rio de Janeiro e do Ministério da Saúde pediram, nesta segunda-feira, apoio dos hospitais federais e universitários e dos hospitais das Forças Armadas, para aumentar o número de leitos para tratamento de pacientes com dengue.

Entretanto, os leitos destinados à dengue nos hospitais das Forças Armadas já estão ocupados pelos próprios militares e dependentes. Na próxima segunda-feira, dia 24, haverá nova reunião com representantes das Forças Armadas para analisar a disponibilidade de novos leitos.

Já a negociação com os hospitais universitários e com hospitais federais teve resultado positivo, com a abertura de 134 vagas para pacientes com dengue. Nas próximas semanas, estarão disponíveis mais 85 leitos nos hospitais federais e 49 nos universitários.

Segundo o secretário nacional de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Gerson Pena, a reunião desta segunda-feira também discutiu o fortalecimento da Central Estadual de Regulação de Leitos, criada para agilizar os atendimentos e racionalizar a força de trabalho nos hospitais.

O secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, explicou que a Central de Regulação de Leitos garante não só a vaga, mas também a transferência dos pacientes, além de regular o tempo de internação. De acordo com ele, o objetivo da central é dar lógica à solicitação de vagas.

- Não tem cabimento um plantonista ligar para um colega de outro hospital e implorar por uma vaga. A central de regulação de leitos é para isso: o plantonista entra em contato com a central, informa o quadro clínico do paciente, e a central informa onde há esse leito disponível. Uma vez disponível esse leito, nós garantimos a transferência do paciente numa ambulância do Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] ou do Corpo de Bombeiros. Estamos garantindo não só a vaga, mas também a transferência - disse Côrtes.

A central de regulação dispõe atualmente de 164 leitos: 22 são do Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e os outros estão concentrados em hospitais da própria SES.

Sérgio Côrtes informou também que pretende se reunir, ainda nesta semana, com representantes da Sociedade Brasileira de Pediatria para intensificar o treinamento do diagnóstico precoce da dengue e da dengue com complicações, o que já vem sendo feitos nos hospitais estaduais.

O governador em exercício do Estado do Rio, Luiz Fernando Pezão, suspendeu o ponto facultativo desta quinta-feira nos órgãos estaduais de saúde.