Ex-diretor de bateria da Mangueira está desaparecido

Renato Grandelle , JB Online

RIO - Waldir de Oliveira, mais conhecido como mestre Gato da Escola primeira da Mangueira, está desaparecido há dois dias. Waldir foi diretor de bateria da agremiação antes de Ivo Meireles assumir o posto. De acordo com agentes de polícia da 17ªDP (São Cristóvão), a suspeitas de que o mestre Gato tenha sido assassinado.

No início da tarde desta sexta-feira, a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e policiais civis da 17ª DP derrubaram a janela de uma casa de dois andares atrás da quadra da escola de samba Mangueira, na zona norte do Rio. Esta casa tinha uma passagem que dava dentro do camarote da bateria na quadra da Mangueira.

A polícia já havia decretado que esta passagem não fosse fechada. Porém, segundo os policiais a casa foi encontrada fechada, o que contraria exigências feitas pela polícia anteriormente. A casa deveria estar aberta para perícia. A janela e duas portas da casa estavam fechadas com uma estrutura de concreto. Segundo detetives, a obra é recente e deve ter sido feita depois que a polícia esteve no local pela primeira vez.

Segundo um inspetor da polícia a Mangueira poderá responder por fraude processual. Em depoimentos prestados a polícia a agremiação deu duas versões para a passagem: A primeira, a casa era usada para armazenar instrumentos de bateria e a segunda, de que a casa era usada por um zelador da quadra.

Ainda segundo policiais, a Mangueira alegou não saber da ordem da polícia de não tampar a casa e que o Departamento Jurídico da escola não comunicou nada a respeito de proibição.