Prefeitura apreendeu 2 toneladas de garrafas no carnaval

JB Online

RIO - A Coordenação de Controle Urbano, órgão ligado à Secretaria Municipal de Governo, apreendeu cerca de duas toneladas de garrafas de vidro (cerveja, refrigerante, cachaça, uísque e batidas), além de uma grande quantidade de panfletos publicitários, que eram distribuídos nas ruas, de sexta-feira até a manhã de terça-feira.

Os agentes também desmontaram 30 barracas irregulares que funcionavam na Lapa, Avenida Presidente Vargas, Copacabana, Madureira e áreas próximas ao Sambódromo e multaram 20 barraqueiros que comercializavam produtos não autorizados.

Nas praias de Copacabana e Ipanema os fiscais retiraram barracas de camping que eram utilizadas pelos camelôs como depósito de mercadorias.

Cerca de 300 agentes de Controle Urbano se revezaram nas barreiras de contenção e orientação de atividades comerciais nas ruas de acesso aos locais de desfiles. Além da repressão ao comércio do spray de espuma e à utilização de garrafas de vidro, os fiscais verificaram as autorizações concedidas ao comércio ambulante.

Segundo a SMG, as ações foram executadas na área do Sambódromo, do Terreirão do Samba e bairros onde havia grande concentração de público, como Lapa, Cinelândia, Madureira, Campinho, Copacabana, Ipanema e Leblon.

Além do apoio operacional nas áreas de concentração e dispersão da Passarela do Samba, os técnicos da Defesa Civil fizeram acompanhamento dos carros alegóricos, utilizando, pela primeira vez, uma câmera térmica, que detecta o aumento da temperatura em qualquer parte do veículo, a fim de evitar acidentes.

Por causa da frente fria que está sobre o Rio de Janeiro, a Defesa Civil registrou, das 7h de sexta-feira até o meio-dia de desta quarta-feira, 161 atendimentos. A maioria foi para imóveis com infiltrações e com rachaduras, mas também aconteceram chamados para ameaça de deslizamento de encostas, de muros divisórios e queda de árvores.

O caso mais grave foi o desabamento parcial de um sobrado na Rua Barão de São Félix 116, na Saúde, na segunda-feira, que causou a morte de uma mulher e ferimentos em outras três pessoas. Os bairros com maior número de atendimentos foram Tijuca, Grajaú, Higienópolis, Ilha do Governador, Penha e Barra da Tijuca.

O órgão mantém suas operações em estado de alerta e coloca à disposição da população o telefone 199 para atendimento em casos de emergências e solicitações. A ligação é gratuita.

Vigilância Sanitária: 132 vistorias no Carnaval

As equipes de serviços em saúde e de alimentos da Vigilância Sanitária Municipal realizaram um trabalho intensivo no Sambódromo, enquanto os agentes do Pafs (Pronto Atendimento em Fiscalização Sanitária) estiveram em bailes populares e clubes durante o Carnaval. Foram feitas 132 vistorias, emitidas 12 intimações e lavrados nove autos de infração. Entre os estabelecimentos multados estão quiosques e lanchonetes instaladas na área da Avenida Marquês de Sapucaí, além de restaurantes e clubes que promoviam bailes carnavalescos. Foram constatadas irregularidades como falta de asseio, manuseio simultâneo de dinheiro e alimentos e falta de documentação.

A secretaria municipal de Governo (SMG) trabalhou em regime de plantão neste carnaval. O esquema de trabalho será repetido no desfile das campeãs, neste sábado.