Ipem-RJ começa a analisar material escolar apreendido

JB Online

RIO - Com o objetivo de verificar se o material escolar colocado à venda nas lojas e papelarias da cidade estão de acordo com as normas exigidas por lei, fiscais da Superintendência de Metrologia Legal do Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro (Ipem/RJ) recolheram, durante a operação Volta às Aulas, realizada na primeira semana de janeiro, cadernos, canetas, massa de modelar, guaches, colas brancas, colas coloridas e papel almaço. Todo o material será analisado a partir desta quinta-feira, às 9h, em laboratório, por técnicos do órgão.

De acordo com Soraya Santos, presidente do Ipem/RJ, vários critérios são analisados durante o exame, como toxidade dos produtos, se as especificações dos fabricantes estão descritas em português, e se a faixa etária para a utilização do produto está em local visível. É analisada também a questão quantitativa de cadernos e papel ofício.

- Para se ter idéia, no ano passado encontramos cadernos com 474 folhas, quando na realidade deveriam ter 500. Isso é um abuso contra o consumidor - desabafou. Ela disse ainda que, caso seja encontrada alguma irregularidade, as empresas terão prazo de 15 dias para apresentar defesa.

- Dependendo do erro encontrado o fabricante pode ser autuado e receber multa de até R$ 10 mil, além de ter seu produto interditado e retirado das prateleiras - explicou Soraya santos.

Os consumidores que tiverem alguma dúvida podem ligar para a Ouvidoria do órgão, que atende pelo número 0800 282 3040, e funciona de segunda à sexta-feira, das 9h às 17h.