Polícia identifica dono do depósito de fogos de artifício que explodiu

Agência Brasil

RIO - O policial militar Alexandre Santos de Miranda, 37 anos de idade, foi identificado pela polícia como sendo o proprietário do depósito clandestino de fogos de artifício que explodiu neste fim de semana em São Gonçalo, região metropolitana do Rio.

Ele prestou depoimento nesta segunda-feira na delegacia de Neves. A mãe de uma das três vítimas da explosão também foi ao local prestar depoimento. Segundo o delegado adjunto Nilton Silva, a polícia ainda investiga a causa da explosão.

- Ainda não sabemos o que realmente aconteceu, mas tudo indica que houve falta de conhecimento no manuseio dos fogos de artifício. Tudo indica que a explosão foi acidental.

Outros dois parentes das vítimas foram chamados pela polícia para prestar depoimento nesta segunda-feira. Ontem, a Defesa Civil Municipal de São Gonçalo demoliu o sobrado que abrigava o depósito clandestino.

A explosão chegou a danificar casas vizinhas. Cinco moradias foram interditadas provisoriamente durante a demolição, mas foram liberadas no mesmo dia.