Dois presos e 33 veículos apreendidos em operação em Campo Grande

Agência JB

RIO - Vinte e sete vans apreendidas, seis veículos recuperados, entre eles uma picape L-200 blindada, um posto de gasolina fechado e o gerente preso, além de um outro preso por furto de energia e sinal de TV, foi o resultado da operação deflagrada, na manhã desta segunda-feira, por cerca de 300 policiais civis das delegacias especializadas e da capital. A açãop também contou com a participação da Guarda Municipal e de fiscais do Detro. Um dos objetivos da operação foi de combater o transporte irregular de passageiros, na região de Campo Grande, Zona Oeste.

De acordo com os agentes, a picape roubada no bairro de Vila Isabel, na Zona Norte, recuperada pelos agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), na comunidade Caminho do Céu, em Cosmos, o veículo deveria estar sendo utilizado por integrantes da milícia e o abandonaram quando perceberam a presença policial no local. No interior do carro, foi apreendido um colete a prova à bala camuflado do Exército. Os outros carros foram apreendidos por transportar passageiros sem autorização foram rebocados para o depósito público.

Os policiais também interditaram o posto de gasolina Alto Champion, no bairro do Cosmos. Segundo os agentes, o posto adulterava o combustível. O gerente, Alexandre Chaves, 27 anos, foi preso e autuado pelos crimes de estelionato e o de contra a economia popular.

Durante a operação, foi preso Ricardo Gildes de Souza. Ele foi autuado por furto de energia e de sinal de TV. Ricardo foi surpreendido em casa, próximo da Favela do Barbante, em Inhoaíba. A operação foi coordenada pelo Departamento de Polícia Especializada da Polícia Civil.

Segundo os policiais que participaram da operação, não foi constatado o mesmo número de veículos de transportes irregulares na região, como em algumas favelas não está funcionando as centrais clandestinas de TV a cabo. A fiscalização policial contra esses crimes vai continuar.

Esta foi a terceira operação realizada em Campo Grande, com a mesma finalidade, em menos de um mês. De acordo com a polícia, o transporte irregular de passageiros, ligações de TV a cabo clandestinas e serviços de segurança na região, são gerenciados pela milícia.

Na última operação, deflagrada no dia 27 de dezembro, o vereador Jerônimo Guimarães (PMDB), o Jerominho, foi preso acusado de chefiar a milícia na Zona Oeste. O irmão de Jerominho, o deputado estadual do PMDB, Natalino também foi acusado de pertencer à quadrilha, mas vai responder o processo em liberdade porque têm imunidade parlamentar.