Papai Noel pode ser traumático para crianças inseguras

Marcello Victor, Agência JB

RIO - Papai Noel, ele mesmo, o bom velhinho, simpático e amável, que aparece no período natalino com uma mensagem de paz e trazendo presentes, pode se transformar em um monstro para as crianças. Nesta época do ano é possível presenciar pequeninos chorando e esperneando em shoppings, lojas ou nas ruas, ao se deparar com o barbudo vestido de vermelho e com um saco nas costas.

Para a psicóloga Christiane Fuchs, do Centro de Apoio ao Familiar do Hospital Prontobaby, na Tijuca, Zona Norte do Rio, o encontro com um personagem tão importante pode paralisar a criança. Os pequenos medrosos e inseguros podem correlacionar o bom velhinho ao homem do saco, por exemplo, figura corriqueira utilizada pelos pais para repreender os filhos.

A recomendação no caso de repulsa, segundo a psicóloga, é não forçar a aproximação e procurar mostrar a docilidade do personagem. Os pais também são figuras essenciais na relação de medo e insegurança nas crianças. Aos 33 anos, Christiane Fuchs cita com naturalidade sobre sua relação com o barbudo. "Meu avô se vestia de Papai Noel. Eu gritava e berrava muito", confessa.

JB Online: O que leva uma criança a se deseperar, a ter uma atitude inesperada de medo ao se deparar com o figura do Papai Noel?

Christiane Fuchs: Existe a questão da fantasia e o se deparar com ela. A forma como os pais apresentam essa história do Papai Noel para as crianças é importante. Isso deve ser feito numa forma de confiança. Lembra do homem do saco, que ia colocar a gente dentro dele? A criança faz esse tipo de correlação na cabeça dela. Outro exemplo é ver um boneco com a cabeça do Mickey e se assustar, se deparar com ele. O importante nessa questão do Papai Noel é não forçar uma aproximação no caso da criança se deparar com ele, mas sim convesar. O importante é mostrar que o Papai Noel é uma criatura boa, que está ali para conversar.

JB Online: A senhora já atendeu casos em que a criança tenha desenvolvido um quadro de medo ou aversão ao Papai Noel?

Crhistiane Fuchs: Focado exclusivamente no Papai Noel, não. Mas, com uma criança que tenha medo de outras coisas, como escuro, que faça xixi na cama, sim. Mas, com medo exclusivo do Papai Noel, eu nunca atendi. Existe a questão do medo, da insegurança em si, em que o Papai Noel pode aparecer. O que é tratado é o medo, a insegurança em geral. O jeito de tratar essas questões é através do lúdico, com jogos e brincadeiras. Os pais têm uma importância grande nisso nessa questão de medo e insegurança. Eles são um espelho para os filhos. A atitutde deles deve ser no dia-a-dia.

JB Online: A senhora já passou por essa experiência assustadora de se depara com a figura do Papai Noel quando criança e se desesperar?

Christiane Fuchs: Eu passei e tinha muito medo. Fui criada cercada de medo, de agressividade. Fui muito insegura, tive medo, fiz xixi na cama quando criança, ouvi aquelas coisas como "vou te colocar no escuro", "vou puxar seu cabelo". Não superei isso como psicóloga, mas consegui reverter durante a vida. Mas senti muita insegurança quando criança e adolescente, e o Papai Noel apareceu e muito nessa relação. Na minha família, meu avô se vestia de Papai Noel. Eu gritava e berrava muito.