MST ocupa Fazenda São Paulo em Valença

Agência Brasil

RIO - Cerca de 100 famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) estão ocupando a Fazenda São Paulo, no município de Valença, no Sul fluminense, desde a madrugada deste sábado. Segundo a dirigente do MST, Luciana Miranda, o objetivo dos sem-terra é agilizar o processo de desapropriação de parte da fazenda pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Esta é a segunda vez que o MST ocupa a fazenda. A primeira vez foi em agosto de 2005, mas, segundo Miranda, os sem-terra tiveram que ser retirados da área porque o proprietário conseguiu a reintegração de posse junto à Justiça no mês seguinte. Desde então, as famílias viviam acampadas às margens da Rodovia Lúcio Meira (BR-393).

- Depois desse despejo, vínhamos cobrando, junto ao Incra, que ele terminasse logo o processo de desapropriação da fazenda, já que é uma área improdutiva. Por isso, essa reocupação, no sentido de agilizar esse processo, para assentar essas famílias, que estão desde 2005 na beira da estrada - disse Miranda.

O MST mantém atualmente a ocupação de outras quatro fazendas no sul do Estado do Rio: em Valença, Resende, Quatis e Barra do Piraí. Segundo o superintendente do Incra no estado, Mário Lúcio Machado, que foi informado da ocupação pela Agência Brasil, o processo de desapropriação da Fazenda São Paulo está para ser concluído.

Mário Lúcio machado informou que, nesta segunda-feira, fará uma consulta ao setor jurídico do instituto para saber mais detalhes do andamento do caso.