Tráfico usa ônibus para barricada e mais um é ferido na Vila Cruzeiro

Felipe Sáles e Marcello Victor, Agência JB

RIO - Traficantes de drogas da Vila Cruzeiro, na Penha, Zona Norte do Rio, metralharam dois ônibus que passavam em ruas próximas a comunidade, no fim da tarde desta terça-feira. Eles retiraram os passageiros, efetuaram os disparos e colocaram os veículos em dois acessos á favela, para impedir a ação de policias para resgatar um veículo blindado do 3º BPM (Méier), que enguiçou no interior da comunidade.

Com a ação da tarde desta terça-feira, subiu para quatro o número de feridos na operação realizada por policiais de cinco batalhões na Vila Cruzeiro. Rogério Jorge Adelino dos Santos, de 32 anos, foi ferido por estilhaços de bala dentro de casa, no interior da favela. Ele foi levado para o Hospital Getúlio Vargas (HGV). após ser medicado foi liberado.

Cerca de 100 policiais do 16º BPM (Olaria), 22º (Complexo da Maré), 9º (Rocha Miranda), 3º (Méier) e do Batalhão de Operações Especiais (Bope) retornaram à Vila Cruzeiro, durante a tarde, após uma manhã de intensos tiroteios com traficantes de drogas. Um PM e um ex-funcionário da Comlurb morreram. Os PMs contam com o reforço de um veículo blindado, o chamado Caveirão, de cada unidade.

O comandante do 16º BPM, coronel Marcus Jardim, lamentou a morte do PM Hélio Bezerra de Lima, de 35 anos. Ele disse que foi a primeira baixa da unidade em oito meses de confrontos com traficantes da Vila Cruzeiro. Jardim afirmou que o tiro que matou seu comandado foi feito de longa distância e por um atirador de elite do tráfico. O coronel também classificou como tática de guerrilha, a utilização dos ônibus roubados como barricadas.

Devido aos confrontos da manhã, a Secretaria Municipal de Educação suspendeu as aulas durante esta tarde. Cerca de quatro mil crianças de seis escolas ficaram sem estudo. O conflito começou quando cerca de 50 PMs do 16º BPM faziam uma operação com o blindado na Vila Cruzeiro. Explosões de granadas assustaram os moradores que passam nas proximidades. Muitas pessoas não conseguiram chegar à comunidade e tiveram que aguardar o fim do tiroteio na Avenida Nossa Senhora da Penha. O clima foi tenso durante todo o dia na região dos complexos da Penha, da Vila Cruzeiro e do Alemão.

O PM Hélio Bezerra de Lima foi atingido com um tiro na cabeça, na Rua 14. Outro ferido foi o vendedor de papelão Valdyr Ribeiro Barbosa, 59 anos. Aposentado da Comlurb, ele era morador da comunidade e foi ferido na barriga, na Rua Maragogi. Socorrido por vizinhos para o Hospital Getúlio Vargas (HGV), não resistiu e morreu. A sobrinha dele, Elaine Francisco Barbosa, 24, anos, sofreu ferimentos em várias partes do corpo, por de estilhaços de bala.

O cabo Antonio Carlos torceu o pé na operação e foi levado para o HGV. Nessa mesma unidade está sendo operado, neste momento, Janderson Oliveira Luz, de 17 anos. Ele levou um tiro de fuzil nas costas quando estendia roupa no varal de casa e seu estado de saúde é considerado grave.

De acordo com Marcus Jardim, a equipe recebeu apoio do 9º e 22º BPM (Maré). O subcomandante do 16º BPM, coronel José Vieira de Carvalho, afirmou que o clima era tenso no local pela manhã e que foi solicitado o apoio do Bope.