Bingos podem ter pago propina a policiais do Rio

Portal Terra

RIO - Lista apreendida pela Polícia Federal na Operação Furacão levantou suspeitas sobre policiais civis e militares do Rio de Janeiro. Três bingos repassariam o dinheiro a cinco delegacias e dois batalhões da Polícia Militar, todos no centro do Rio.

Pelas anotações da lista, só em setembro do ano passado, um bingo teria repassado mais de R$ 18 mil para três delegacias e um batalhão. No total, teriam sido pagos mais de R$ 40 mil de propina naquele mês para que os policiais não fizessem operações em casas de bingo e nem reprimissem o jogo do bicho.

"Uma vez apurado o desvio de conduta, pode se abrir o inquérito criminal e, paralelamente, se abre o inquérito administrativo. O inquérito administrativo é para demitir o corrupto e o inquérito policial é para colocá-lo na cadeia", diz o corregedor da polícia, Gustavo Leite.

A PF encontrou indícios de que pelo menos dois contraventores presos seriam sócios ocultos de casas de bingo do Rio. Eles não aparecem nos contratos sociais das casas de jogos mas, segundo as investigações, receberiam parte do lucro.