Mais de 50 policiais ocupam a Rocinha

Breno costa e Duilo Victor, Agência JB

RIO - Às 21h10 desta terça-feira, mais de 50 policiais federais, civis e militares saíram do 23º BPM (Leblon) em direção à Rocinha, em comboio, para caçar o assassino do policial federal Marcelo Cardozo Castelhano, de 30 anos, morto em uma incursão isolada da PF na favela, no início da tarde. Outros policiais permaneciam no batalhão aguardando ordens para apoiar a operação, inclusive dois caveirões do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

Marcelo e mais dois policiais, todos à paisana, faziam um levantamento na Via Ápia, uma das mais movimentadas da favela, sobre endereços de criminosos com mandado de prisão expedido pela Justiça. Marcelo levou dois tiros à queima-roupa, às 13h50, a menos de 100 metros da pista da Auto Estrada Lagoa Barra. O rápido tiroteio que se seguiu foi o suficiente para motoristas reviverem momentos de pânico. O Túnel Zuzu Angel ficou fechado por 10 minutos.