Polícia Federal faz cadastramento de vigilantes no Rio

Agência JB

RIO - Delegacia de Controle de Segurança Privada (Delesp) da Superintendência Regional da Polícia Federal (PF) no Rio de Janeiro está realizando um serviço de cadastramento de vigilantes, com o objetivo de alimentar o novo banco de dados idealizado, para atender ao Estatuto do Desarmamento, bem como para melhorar os recursos do sistema de segurança privada. O novo banco de dados registra a identificação datiloscópica de cada vigilante, possibilitando uma melhor pesquisa dos antecedentes profissionais e a identificação de registros criminais pelo cruzamento com diversas fontes. Com isso, ganham os empresários quando da contratação de vigilantes e ganham os próprios vigilantes que terão maior certeza em relação aos profissionais que atuam com eles.

O serviço está disponível de segunda a sexta, das 8 às 18 horas, no Stand de Tiros da Superintendência da PF, na Praça Mauá , no Centro do Rio. O público alvo são os vigilantes vinculados a empresas especializadas, com autorização de funcionamento deferida pelo Departamento de Polícia Federal, bem como os vigilantes de serviços orgânicos de empresas, com sede na circunscrição da Superintendência Regional da PF no Estado do Rio de Janeiro. Até o momento, 20 mil de um total de cerca de 40 mil vigilantes já foram cadastrados.

A PF dispõe ainda de um serviço especial de atendimento aos sábados, através de agendamento prévio por telefone, destinado a empresas interessadas. O número é 2203-4399. O prazo do termina bem no dia 30 de junho de 2007. Os vigilantes que não efetuarem o cadastramento dentro do prazo ficarão em situação irregular junto à PF com perda de habilitação para exercer a profissão.

Este trabalho de cadastramento de vigilantes será estendido para todo o país. A Coordenação-Geral de Controle de Segurança Privada, órgão central da PF em Brasília, que administra o projeto, escolheu o Rio de Janeiro como estado pioneiro para lançamento da campanha em virtude dos Jogos Panamericanos.