Duzentas pessoas pedem paz para o Alemão

Ana Paula Verly, Agência JB

RIO - Cerca de 200 pessoas participaram de um ato ecumênico na manhã deste sábado, no Largo da Penha. Organizado pela associação de moradores do bairro, com apoio do Viva Rio, o ato começou com uma missa, às 10h, que lotou a capela do Sagrado Coração de Jesus, apesar da chuva. Vestidas de branco, seis crianças levaram bandeiras e corações com a palavra paz até o altar, onde foram soltas três pombas brancas ao fim da celebração.

Muitos participantes vestiam camisetas com fotos de vítimas da violência no Estado. Sobrevivente de uma bala perdida que atravessou o tórax e saiu pelas costas, o porteiro Antonio Bernardo Gomes engrossava o coro. Morador da comunidade do Caracol, próximo à Vila Cruzeiro, foi atingido quando saía de casa, às 15h de um domingo.

O comandante do 16ºBPM (Olaria), tenente-coronel Marcos Jardim, mandou espalhar cartazes com a foto do traficante Fabiano Atanázio da Silva pelos muros da Penha. Acusado de matar dois policiais da unidade, o bandido vem sendo caçado pela polícia desde o dia 1º de maio na Vila Cruzeiro, no Complexo do Alemão. Trinta e quatro dias depois do início dos confrontos, que já mataram 17 pessoas na favela, o comandante também decidiu distribuir 10 mil panfletos para pedir que a população do bairro denuncie esconderijos de marginais, armas, munições e drogas ao batalhão.

A polícia não vai se retirar da Vila Cruzeiro. Os traficantes é que têm de sair avisou Marcos Jardim.