Pronto-Atendimento na Maré recebe visita do secretário de Saúde

Agência JB

RIO - É grande o número de pacientes que buscam a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) 24 horas, no Complexo da Maré, neste primeiro fim de semana de funcionamento do posto.

Inaugurada pelo governador Sérgio Cabral na última quarta-feira, a UPA atendeu, ontem, um total de 434 pacientes. Até as 11h30 deste sábado, o total de atendimentos já chegava a 135. Doentes em estado grave têm prioridade na fila de espera e, quando necessário, são transferidos para hospitais de emergência da rede pública. Neste sábado pela manhã, o secretário estadual da Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, visitou o posto.

- Vejo a unidade lotada e fico imaginando onde essas pessoas estariam sendo atendidas, caso não tivessem a UPA. Claro que algumas buscariam as emergências dos hospitais, mas boa parte estaria em casa, sem atendimento. Se alguém tinha alguma dúvida da necessidade da construção da unidade, agora já não tem mais - comentou Côrtes.

A especialidade mais procurada tem sido a clínica médica, com 202 atendimentos ontem e 66 até a manhã deste sábado. A pediatria ficou em segundo lugar, com um total de 163 pacientes na sexta e 51 no sábado.

Segundo o coordenador médico da UPA da Maré, Marcelo Guimarães Barbosa, 85% do total de atendimentos registrados são de casos de emergência de pequena complexidade ou ambulatorial.

- Recebemos também muitas pessoas solicitando serviços da rede básica, como vacinas. Esses moradores foram ouvidos pelos nossos atendentes e encaminhados para postos de saúde perto de suas residências - disse Barbosa.

Entre os casos mais graves registrados nas últimas 24 horas estão o de uma paciente que entrou em trabalho de parto prematuro e o de um adolescente com fratura completa de fêmur. Ambos passaram pela Sala Vermelha da unidade, tiveram a situação estabilizada e depois foram transferidos para hospitais.

O projeto da UPA prevê a construção de mais 13 unidades no Rio e Grande Rio, ainda este ano, como forma de aliviar as filas das principais emergências do estado. Segundo o secretário Sérgio Côrtes, 80% das pessoas que recorrem às emergências podem ser tratadas na unidade, capacitada para atender casos clínicos de baixa complexidade.