Terminam depoimentos de contraventores na Justiça Federal

Agência JB

RIO - Terminou a pouco os depoimentos de Antônio Petrus kalil, o Turcão, Ailton Jorge Guimarães, o Capitão Guimarães, e Aniz Abrahão David, o Anísio, na 6ª Vara Criminal da Justiça Federal, no Centro do Rio. Eles são acusados de lavagem de dinheiro no esquema do jogo do bicho.

Os depoimentos começaram por volta das 14h. Eles duraram cerca de uma hora cada. O primeiro a ser ouvido pela juíza Ana Paula Vieira de Carvalho foi Capitão Guimarães. Depois foi a vez de Anísio e por último Turcão. Ele passou mal momentos antes do depoimento. Segundo a assessoria da Justiça Federal foi apenas um mal-estar.

O ônibus trazendo 17 dos 21 presos pela Polícia Federal na Operação Furacão, chegou ao prédio da Justiça Federal, por volta de 13h30. Os detidos deixaram a carceragem da PF em Brasília às 6h45. O desembarque no Rio ocorreu por volta das 12h30, na Base Aérea do Galeão, na Ilha do Governador, na Zona Norte. Os depoimentos devem começar por volta das 14h. Estão programados três interrogatórios por dia até sete de maio, sempre nos dias úteis.

Os acusados permanecerão no Rio durante o tempo em que durar o processo de investigação. Nesse período, ficarão presos em um quartel do Exército.

Segundo a PF, os outros quatro presos não virão ao Rio, uma vez que têm direito à defesa prévia (previsto na lei 8112/90 e no código de processo penal). São eles: os delegados federais Susie Pinheiro Dias de Mattos e Carlos Pereira da Silva; o agente administrativo da Polícia Federal Francisco Martins da Silva e o policial civil Marcos dos Santos Bretas.

O delegado federal aposentado, Luiz Paulo Dias de Mattos, não tem mais o direito de defesa prévia porque se aposentou e compõe o grupo dos 17 acusados que virão para o Rio.