Witzel ameaça dar voz de prisão a Paes; ex-prefeito rebate: 'Governar não é ato de autoritarismo'

O candidato ao governo do Rio Wilson Witzel (PSC) ameaçou dar voz de prisão a seu adversário pelo DEM, Eduardo Paes, por supostamente ter disseminado fake news contra ele. Witzel, inclusive, disse que o faria ao vivo, durante de debate de TV. Por sua vez, Paes reagiu afirmando que seu adversário precisa "aprender que governar não é um ato arbitrário". O ex-prefeito negou a acusação e disse que Witzel precisa ter "respeito às leis e regras, ao eleitor e à imprensa". 

"O crime de injúria é de pequeno potencial ofensivo. Está sujeito sim a voz de prisão. O que eu tenho dito é que a política tem sido feita de uma forma irresponsável. Essas fake news… Elas só podem sair de um lado, que é o candidato opositor. Esse tipo de coisa, não vou admitir. Se for praticado crime de injúria durante programa de televisão, nós vamos parar na delegacia”, disse Witzel.

Paes respondeu: "É uma calúnia. Vou ouvir a calúnia dele, não vou dar voz de prisão a ele, e vou dizer que é uma mentira, não estou produzindo fake news. O ex-juiz vai ter que aprender que, quando estamos na vida pública, a gente é o tempo todo arguido sobre o que já fizemos. Não só pelos adversários, mas pela imprensa e população", disse, prosseguindo: "Ele (Witzel) vai ter que aprender que governar não é um ato arbitrário e de autoritarismo. Estamos vivendo um país livre, agora não pode mais questionar? Quer vir para um debate eleitoral e está achando que é o dono da verdade."

Macaque in the trees
Wilson Witzel e Eduardo Paes (Foto: Divulgação)