Jornal do Brasil

Rio - Eleições 2018

Alerj vai ficar mais feminina ano que vem

Número de mulheres na Assembleia vai passar de nove para 12

Jornal do Brasil

As treze cadeiras do Partido Social Liberal (PSL) na composição da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) não serão a única novidade na legislatura que se iniciará em fevereiro do ano que vem. Um dos destaques que brotaram do resultado das urnas foi o crescimento da bancada feminina da Casa. O Palácio Tiradentes contará com a ilustre presença, em 2019, de 12 mulheres, um aumento de 33% em relação às nove deputadas que exercem mandato atualmente na Alerj. A campeã de votos foi a paraquedista do exército Alana Pessoa, que contabilizou pouco mais de 106 mil votos e foi a terceira mais votada entre os 70 eleitos.

Alana terá a companhia de três mulheres que trabalhavam no gabinete da vereadora Marielle Franco, executada em março deste ano no Estácio, todas do PSOL: Renata Souza, ex-chefe de gabinete de Marielle, com 63.937 votos; Mônica Francisco, assessora da vereadora, com 40.631 votos; e Dani Monteiro, também assessora, com 27.982 votos.

Macaque in the trees
A dança das cadeiras por partido (Foto: Reprodução)

A renovação para o ano que vem será de 51%, maior do que os 40% registrados nas eleições de 2014, quando 28 parlamentares conquistaram vagas entre as 70 disponíveis. A composição da próxima legislatura, determinada pelo resultado das eleições de domingo, contará com 34 deputados reeleitos e com 36 parlamentares que começarão seu primeiro mandato.

A maior bancada será do PSL, com treze deputados. Em sequência vem a bancada do Democratas, com seis parlamentares, seguida pela do PSOL com cinco. Ao todo, o partido conseguiu eleger 13 dos 70 deputados estaduais da Alerj, contra dois vitoriosos nas eleições de 2014. O MDB foi o partido que mais encolheu, dos 15 deputados eleitos há quatro anos para 5 no último domingo.

Em contraponto, conseguiram vaga na Alerj as três candidatas do PSOL ligadas à vereadora assassinada Marielle Franco, que terão no entanto que dividir o plenário com Rodrigo Amorim, do PSL, o mais votado para a Alerj com 140.666 votos e o mesmo que, às vésperas das eleições, publicou nas redes sociais uma foto com a placa de rua em homenagem à Marielle no Centro do Rio rasgada, “para restabelecer a ordem”, segundo ele afirmou na época.

Câmara federal

A bancada do Rio de Janeiro terá 30 novos nomes entre os 46 deputados que representarão o estado na Câmara, em Brasília — uma renovação de 65%. Apenas 16 foram reeleitos este ano. Grande parte da renovação da bancada ficou por conta do PSL, que elegeu 12 representantes para a Câmara dos Deputados, entre eles o mais votado: Hélio Fernando Barbosa Lopes, o Hélio Bolsonaro, com 345 mil votos. Dos 12 nomes do PSL eleitos, apenas Lourival Gomes não é um novato. Apesar de não ter sido eleito como titular em 2014, ele assumiu a vaga como suplente ao longo da última legislatura.

Outro novato na Câmara é o atual deputado estadual Marcelo Freixo, segundo mais votado, com 343 mil votos. Seu partido, o PSOL, elegeu quatro parlamentares. Além de Freixo, Talíria Petrone é outro novo nome na Câmara. Entre os 16 que foram reeleitos, destaca-se Alessandro Molon (PSB), que recebeu 228 mil votos e foi o terceiro mais votado no estado. A bancada fluminense será representada pelos seguintes partidos: PSL (12 deputados), PSOL (quatro), DEM (quatro), MDB (três), PSD (três), PP (dois), PRB (dois), PR (dois), PDT (dois), PSC, PCdoB, SD, Novo, PPS, DC, PT, PRP, PHS, Pros e Avante (com um parlamentar cada).

Macaque in the trees
Eleitos (Foto: Reprodução)

Com Estadão Conteúdo

 



Recomendadas para você