Rio

Paes diz que RJ seguirá plano nacional de imunização, mas prevê vacina contra Covid para janeiro

José Peres
Credit...José Peres

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, apresentou neste domingo o programa inicial de enfrentamento à Covid-19 na cidade e disse que seguirá o Plano Nacional de Imunização, embora tenha sinalizações de que a vacinação pode acontecer ainda neste mês.

Segundo ele, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciará as datas nesta segunda-feira. “Eu já ouvi até uma especulação de que vai ser no dia 20 de janeiro...Então, amanhã ele anuncia”, afirmou Paes em coletiva de imprensa transmitida pela internet.

O governador do Estado em exercício, Cláudio Castro, afirmou que o Rio de Janeiro está preparado para iniciar a vacinação assim que o governo federal liberar o calendário.

“Na semana passada já chegaram oito milhões de seringas e, ainda em janeiro, (vamos receber) mais oito milhões. Tenho a certeza de que, se a vacinação começasse na quarta-feira, estaríamos 100% preparados”, afirmou Castro.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, apresentou o plano de enfrentamento à Covid-19 e, segundo ele, a cidade deverá ter até o fim de janeiro 343 novos leitos para atendimento aos casos da doença.

Além de 193 novas vagas na rede pública, a prefeitura publicou no Diário Oficial deste domingo um chamamento para contratar 150 leitos da rede privada.

Sobre a vacinação, Soranz explicou que, de início, o objetivo é imunizar 2,6 milhões de pessoas nas primeiras quatro etapas do plano de vacinação, a partir do cronograma do Ministério da Saúde.

A estratégia envolverá 450 pontos de vacinação na cidade, a maioria nas Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde, com 10,5 mil profissionais envolvidos.

“A tendência é a de que, na primeira fase, deverão ser imunizados trabalhadores da saúde, pessoas a partir de 60 anos, pessoas com comorbidades, professores, indígenas, quilombolas e profissionais das forças de segurança e salvamento e serviços essenciais, além de funcionários do sistema prisional”, afirmou. (com agência Reuters)