Publicidade

Rio

Crivella diz que Paes levará pedofilia para escolas com Psol e Freixo rebate: 'ser rastejante'

'Você vai ser processado, vai responder na Justiça', rebate Freixo

Tânia Rêgo/Agência Brasil
Credit...Tânia Rêgo/Agência Brasil

O candidato à prefeitura do Rio de Janeiro Eduardo Paes (DEM) e o Psol anunciaram nessa quinta-feira (19) que vão processar o atual prefeito, Marcelo Crivella (Republicanos), por associá-los à pedofilia.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, Crivella, ao lado do deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ), disse que Paes, caso fosse eleito, daria a gestão da Secretaria de Educação do município ao Psol, que, por sua vez, implementaria a "pedofilia nas escolas".

O vídeo foi feito enquanto o prefeito aguardava encontro com o presidente Jair Bolsonaro. Otoni de Paula, que era crítico da administração Crivella, passou a defender o atual alcaide por orientação do chefe de Estado.

Também por meio de um vídeo, o deputado Marcelo Freixo (Psol-RJ) respondeu às acusações de Crivella. Ele afirmou que seu partido processará o prefeito e chamou Crivella de "ser rastejante".

"Você vai ser processado, vai responder na Justiça. Isso é o desespero de quem vai tomar uma surra eleitoral. Você vai sair da prefeitura como um ser rastejante. Você é um ser político rastejante, Crivella", disse o parlamentar.

'É um risco que estamos correndo'
Na transmissão ao lado de Otoni, Crivella diz que o PSOL "está com Eduardo Paes", seu adversário no segundo turno da eleição à prefeitura do Rio. Em seguida, o prefeito afirma ter ouvido que a legenda "vai tomar conta da Secretaria de Educação" numa eventual gestão Paes. "Agora você imagina... Pedofilia nas escolas", acrescenta Crivella.

O deputado do PSC reforça as acusações: "É um risco que estamos correndo se Eduardo for eleito". Otoni é investigado no inquérito das fake news do Supremo Tribunal Federal (STF). Além disso, foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República pelos crimes de difamação, injúria e coação por ter xingado o ministro do STF Alexandre de Moraes, relator do inquérito.

Na quarta-feira (18), o PSOL decidiu pregar o "não voto" em Crivella, sem apoiar explicitamente Paes.

'Baixeza' e 'mentira'
O ex-prefeito também afirmou que processará o candidato do Republicanos. Por meio de nota, Paes disse que não existe acordo nem troca de cargos com o Psol. Ele afirmou ainda não imaginar que Crivella "seria capaz de ir tão longe na baixeza e na mentira".

Paes anunciou que processará o atual prefeito em esfera eleitoral, cível e criminal.(com agência Sputnik Brasil)