Jornal do Brasil

Rio

Fórum da Alerj de desenvolvimento debate os desafios da acessibilidade plena

Jornal do Brasil

O Fórum Alerj de Desenvolvimento Estratégico do Estado lançou uma série sobre a acessibilidade plena. O primeiro dos três painéis virtuais foi transmitido nesta quarta-feira (22/07) e teve como convidada a arquiteta Gabriella Zubelli, que é membro da Comissão Permanente de Acessibilidade da Prefeitura do Rio e especialista em acessibilidade física e cultural.

Macaque in the trees
O Fórum Capacita tem como objetivo gerar oportunidades de aperfeiçoamento para os agentes públicos em geral. (Foto: Reprodução)

Zubelli abordou os diversos conceitos de acessibilidade e alertou para o fato de que todos podem temporariamente ou permanentemente terem a mobilidade reduzida como, por exemplo, ao engravidar, sofrer acidentes ou ao atingir a terceira idade. “Por isso, a construção de ambientes acessíveis é extremamente importante”, enfatizou. Ela também dissertou sobre a acessibilidade plena, que é a junção da acessibilidade atitudinal, de conteúdo e física.

A arquiteta afirmou que a acessibilidade está diretamente ligada à inclusão e que cada indivíduo é capaz de contribuir para fomentar a acessibilidade através das formas de agir e de pensar. Também alertou para a importância de projetos que visem sensibilizar a população, proporcionando a experimentação da realidade dos deficientes e das dificuldades que eles enfrentam cotidianamente.

Um ponto que merece atenção é a legislação. Segundo ela, é necessário revisar e atualizar constantemente as leis e normas sobre a questão: “Um dos desafios é o fato de as legislações serem locais e não existir uma norma única válida em todos os países”.

Formas de acessibilidade

Gabriella Zubelli indicou algumas formas de tornar os conteúdos mais acessíveis, como legendar e adicionar intérpretes de LIBRAS às lives e aos vídeos e colocar a descrição das imagens nas postagens das redes sociais. Já para o dia a dia, ela ressaltou a importância de rampas, pisos táteis, comunicação eficiente e intuitiva, e neste momento de pandemia a utilização de máscaras com um visor de plástico na boca permitindo a realização de leitura labial.

Secretária-geral do Fórum da Alerj, Geiza Rocha destacou a relevância da série de debates: “Foi muito importante poder tratar dessa temática com a Gabriela. A gente vai dar continuidade a essas discussões pelo Fórum Capacita, entendendo que o acesso à informação é o primeiro passo para podermos ter uma atitude e um olhar diferenciados sobre a questão da acessibilidade”.

O Fórum Capacita tem como objetivo gerar oportunidades de aperfeiçoamento para os agentes públicos em geral. O próximo painel será realizado no dia 31 de julho e terá como temática acessibilidade, conforto e saúde nos edifícios públicos.