Jornal do Brasil

Rio

Rio de Janeiro é o estado que mais recebe estrangeiros com autorização de residência

Jornal do Brasil REDAÇÃO JB, redacao@jb.com.br

O megaleilão de concessões para a exploração do petróleo nacional, referente à cessão onerosa, está atraindo multinacionais que anunciam investimentos bem significativos para os próximos anos. De acordo com lista publicada no Diário Oficial, divulgada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), além da Petrobras, estão companhias que já atuam no país, como Exxon e Shell, BP, Equinor e Total, bem como as chinesas CNODC e CNOOC, por exemplo. Segundo Marta Mitico, sócia-fundadora da BR-Via e presidente da ABEMMI, o leilão também está atraindo um número recorde de executivos que solicitam visto de residência no Rio de Janeiro.

"Será uma grande oportunidade para a economia nacional e local. Por isso, é extremamente importante estarmos organizados para a vinda de profissionais internacionais, considerando a nova legislação migratória e os novos procedimentos que estão sendo implementados", ressalta Marta Mitico, sócia-fundadora da BR-Visa Migration Solutions e presidente da ABEMMI - Associação Brasileira de Especialistas em Migração e Mobilidade Internacional-.

A mestre em direito econômico internacional destaca alguns números que comprovam o cenário promissor ao segmento de mobilidade global. De acordo com o Relatório da Coordenação Geral de Imigração Laboral (CGIL) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, onde foram indicados comparativos do segundo trimestre de 2019 com o ano anterior, o Brasil constatou crescimento que ultrapassou 70% em autorizações de residência no país.

O estado do Rio de Janeiro continua sendo aquele com maior concentração no número de autorizações de residência, seguido por São Paulo. Já em relação às autorizações para fins de investimentos realizados por migrantes (pessoa física), o aumento em números absolutos passou de R$ R$ 8.360.751,50 para R$ 31.740.536,54. Os italianos, chineses, franceses e portugueses foram as principais nacionalidades responsáveis por essa expansão, segundo a CGIL do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Marta Mitico ressalta que esse cenário é extremamente incentivador para as empresas de imigração, que dão assistência a executivos de fora que vêm ao país.