Rio

Crítica política marca desfile de blocos

Rio amanhece sob clima de carnaval, com foliões nas ruas logo cedo

No Rio de Janeiro, 56 blocos de rua esquentaram a cidade, ontem, para o carnaval, que começa oficialmente na próxima semana. O dia foi de muito calor, mas desde às 7h os foliões estiveram nas ruas, deixando o Centro, e outras regiões da cidade, em clima de festa. Segundo a Riotur, cerca de 140 mil pessoas participaram da festa, marcada pela crítica política e social.

Um dos destaques foi o Céu na Terra, que logo cedo atraiu centenas à Santa Teresa. Em seu 18º aniversário, o bloco trouxe a questão de gênero para o debate, no enredo "Fé menina e fé menino", e homenageou a vereadora assassinada Marielle Franco.

Macaque in the trees
O desfile do Céu na Terra, em Santa Teresa, foi marcado pela crítica política (Foto: José Lucena/AE)

Outro bloco tradicional que marcou seu desfile pela sátira política este ano foi o Simpatia é Quase Amor, que em seu 35º ano atraiu milhares de pessoas a Ipanema. A letra do samba, composta por um coletivo de compositores campeões do bloco em anos anteriores, dez referência a diversos personagens da política nacional.

Num dos versos que faziam referência ao momento político brasileiro, três figurões das três esferas de poder foram contemplados: "Ninguém manda no meu carnaval infernal ...Nem pastor, nem capitão e nem juiz" numa alusão ao prefeito do Rio, Marcelo Crivella, ao presidente da Republica Jair Bolsonaro, e ao governador do Rio, Wilson Witzel.

A Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, também não foi esquecida no samba deste ano. As polêmicas declarações da ministra de que teria visto Jesus Cristo subindo num pé de goiabeira e de que meninos devem vestir azul e meninas, rosa serviram de inspiração para os versos "Fui tomar a saideira, acho que bebi demais: Vi Jesus na goiabeira de amarelo e lilás [que são as cores do bloco]".

Na Praça XV, o bloco Truque do Desejo, que tem apenas cinco anos de existência, também deu seu recado e criticou o governo que, em sua opinião, dificultou a realização da festa com as novas regras para o carnaval de rua, que passaram a exigir infraestrutura médica, como UTIs e postos de saúde, e o pagamento de direitos autorais. "Teve uma mudança no decreto que restringiu a liberdade do carnaval de rua. Nós temos a estrutura das casas do Arcos do Telles, mas há uma grande quantidade de blocos que está sendo cancelada e impedida de sair", protestou Vicente Saraiva, produtor do bloco.

Macaque in the trees
Bloco Céu na Terra lota Santa Teresa, na região central do Rio de Janeiro no sábado de pré-carnaval (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Violência

Houve episódios de violência no desfile do Simpatia, com foliões sendo agredidos por ladrões de celular. Oito pessoas foram detidas.No início da noite, a Riotur divulgou um balanço de ocorrências ao longo do dia: foram rebocados 34 veículos por estacionamento irregular; a Comlurb recolheu 43,7 toneladas de lixo e multou 109 foliões por jogar dejetos na rua; e a Coordenadoria de Controle Urbano apreendeu 317 itens. (Com Agência Brasil e Estadão Conteúdo)

 



O desfile do Céu na Terra, em Santa Teresa, foi marcado pela crítica política
Bloco Céu na Terra lota Santa Teresa, na região central do Rio de Janeiro no sábado de pré-carnaval