Rio

20 perguntas sem respostas

DISPAROS E MUNIÇÃO

Marielle teria sido atingida por quatro disparos na cabeça. Um total de 13 disparos teriam sido feitos. A munição utilizada seria de calibre 9mm, de uso restrito no Brasil. A munição seria do lote UZZ-18, um lote pertencente à Polícia Federal. Segundo o Ministro da Segurança Pública, o lote UZZ-18 teria sido desviado nos Correios na Paraíba em 2009. Segundo os Correios, não haveria registro deste episódio. Munição pertencente ao mesmo lote UZZ-18 teria sido utilizada em uma chacina em São Paulo em agosto de 2015. Esta chacina vitimou cerca de 20 pessoas em Osasco e Barueri, entre outras localidades, e contou com a

participação de policiais que seriam parte de um grupo de extermínio. Digitais parciais teriam sido encontrados em cápsulas da munição utilizada.

1) A munição pertence mesmo a este lote?

2 e 3) Como ele foi extraviado da Polícia Federal e por quem?

4) Como esta munição chegou ao Rio de Janeiro?

5) Qual é a relação com o grupo de extermínio de São Paulo?

A ARMA DO CRIME

Inicialmente, divulgou-se que a arma utilizada seria uma pistola 9mm, adaptada para fazer disparos em sequência. Posteriormente, divulgou-se que a arma utilizada seria uma submetralhadora HK-MP5, de origem alemã, que também é de uso restrito e não muito comum no Brasil. A Polícia Civil do Rio teria 60 unidades e a Polícia Militar (BOPE) teria 11 unidades desta submetralhadora. Cinco unidades de submetralhadoras

deste mesmo modelo HK-MP5 teriam desaparecido do arsenal da Polícia Civil, o que teria sido identificado em um recadastramento feito em 2011.

6) Como essas submetralhadoras desapareceram da Polícia Civil?

7) Quem são os responsáveis por isso, inclusive dentro do estado?

8) O que foi feito para aumentar o controle das armas pertencentes às instituições do estado para que não sejam extraviadas e usadas por criminosos?

OS CARROS E APARELHOS ELETRÔNICOS USADOS E AS CÂMERAS DE SEGURANÇA

Imagens de vídeo mostram um veículo aguardando a saída de Marielle de um evento para seguir o carro da vereadora e cometer o crime. No vídeo, é possível ver que o motorista usa em diversos momentos um aparelho pequeno que parece ser um celular. Dois carros teriam sido usados no assassinato e pelo menos um deles teria usado placa clonada. O trajeto parcial de um dos carros é divulgado. Algumas câmeras de segurança, parte do sistema que alimenta o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) do Rio de Janeiro, que cobririam especificamente o local onde aconteceu o assassinato teriam sido desligadas às

vésperas do crime.

9 e 10) O aparelho usado era um celular? Estão investigando as informações telefônicas e de uso de dados para rastrear o aparelho?

11 e 12) Quem clonou as placas e onde? 

13) Quem desligou as câmeras?

14 e 15) De onde os carros vieram e para onde eles foram?

16) O restante do trajeto dos carros não foi mapeado?

PROCEDIMENTOS INVESTIGATIVOS

Não teria sido feito Raio-X dos corpos de Marielle Franco e Anderson Gomes. Autoridades justificam que

raio-X não foi feito por falta de equipamento em estado de funcionamento. O carro não teria sido armazenado de forma adequada e teria ficado exposto indevidamente. Policiais militares teriam mandado testemunhas oculares saírem do local do crime e elas não teriam sido procuradas depois para dar seu depoimento. Um homem mencionado pela imprensa como suspeito de envolvimento denuncia estar sendo coagido pela polícia a assumir o crime.

17) As investigações seguiram todos os padrões necessários de uma investigação criminal imparcial, independente e efetiva ou houve negligência e tentativa de fraude?

18)  Que as autoridades têm a dizer sobre tantas informações veiculadas que sugerem uma inconformidade com o devido processo?

O ANDAMENTO DAS INVESTIGAÇÕES

10/05/2018 O Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirma que investigação do caso Marielle

está chegando à sua etapa final.

31/08/2018 Interventor Federal, o general Braga Netto afirma que o assassinato de Marielle deveria

estar solucionado até o final da intervenção federal no Rio de Janeiro (previsto para 31 de dezembro de 2018).

14/09/2018 O deputado estadual Marcelo Freixo, após prestar depoimento na Delegacia de Homicídios, afirma que a polícia civil garantiu a ele que estava perto e que iria descobrir em breve quem matou e quem mandou matar Marielle

24/09/2018 Secretário de Segurança Pública do Rio, o general Richard Nunes admite a possibilidade de que o caso não seja solucionado em 2018.

29/10/2018 O deputado estadual Marcelo Freixo afirma que acompanha de perto as investigações e que a polícia civil está investigando o caso.

01/11/2018 O Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, anuncia que a Polícia Federal vai “investigar

as investigações” – a medida teria sido uma reação às denúncias de que um grupo organizado, que contaria inclusive com a participação de agentes do estado, estaria atuando para atrapalhar as investigações.

01/11/2018 Chefe da Polícia Civil do Rio, Rivaldo Barbosa afirma que o caso Marielle e Anderson está muito próximo de sua elucidação.

19) As investigações estão próximas do fim ou não devemos confiar nas autoridades quando elas dizem que uma conclusão se aproxima?

20) As investigações estão andando devidamente ou estão sendo atrapalhadas, inclusive por agentes do estado?

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais