Pag. 12 - A qualidade não subiu com a tarifa

Usuários pedem novas composições à supervia para josé valadares, que usa o sistema ferroviário há 30 anos, panes mecânicas já foram incorporadas ao cotidiano dos passageiros.

– na quinta-feira (dia 9), tive de descer do trem três vezes na estação de campo grande, onde moro. o primeiro quebrou, e o segundo e o terceiro também – contou o técnico em telefonia.

– o trem não é de graça, não. a gente paga por um serviço de péssima qualidade.

Para a enfermeira ana maria da silva batista, 43 anos, que embarca diariamente na estação de magalhães bastos (zona norte do rio) rumo à central do brasil, os trens com ar condicionado são quase uma lenda.

– o esquema da supervia é quatro por um: só vem trem climatizado depois de quatro sem ar condicionado. para não nos atrasarmos, a gente embarca no que vier primeiro e atura o calor insuportável – lamenta.

Para o deputado estadual alessandro molon (pt), as irregularidades não estão apenas na precariedade da oferta do serviço, mas também na renovação da segunda concessão da supervia antes do término da primeira.

– o primeiro contrato de concessão da supervia com o governo do estado só terminaria em 2023. para quê assinar outro documento em 2010 estendendo a concessão por mais 25 anos? – quer saber molon. – estou preparando uma represen tação para enviar ao ministério público do rio pedindo que isto seja investigado. acredito que haja irregularidades.

Procurado para comentar a renovação do contrato de concessão antes de seu vencimento, o governo do estado informou que não comentaria o assunto.

Supervia e secretaria anunciam novos trens a secretaria de estado de transportes informou ontem ao jb que 30 veículos já foram encomendados na china, todos com tecnologia avançada e equipados com ar-condicionado, que começarão a ser entregues no primeiro semestre do ano que vem. outros 94 trens serão reformados.

Já a supervia “reconhece que ainda tem muito a fazer”.

Para isso, fechou um acordo com o governo do estado para viabilizar um pacote de investimentos de r$ 2,4 bilhões, que serão aplicados em melhorias em todo o sistema ferroviário. a previsão, no entanto, é de gastos até o ano de 2023.

Até lá, segundo a empresa, serão adquiridos um total de 120 trens novos, com ar condicionado, além da reforma e instalação de refrigeração em outros 73 trens de aço inoxidável.

Além disso, estão previstos investimentos em um novo sistema de sinalização – permitindo a redução dos intervalos – subestações de energia, reforma de estações e recuperação de ramais.

Sobre as reclamações de superlotação, a concessionária alega que o problema é inerente a qualquer transporte de massa. em relação às outras queixas dos passageiros, como atrasos, má conservação dos trens, infiltrações em dias de chuva e falhas mecânicas, a empresa não se manifestou.