Doador vivo é a esperança de João

O tratamento do mestre joão do pulo é feito integralmente pelo sus, mas é frequente a impossibilidade de realização de exames importantes para administrar a doença até a chegada de um doador.

Faltam recursos nos hospitais, que muitas das vezes apresentam aparelhos danificados ou com mau funcionamento, além da dificuldade para a marcação de consultas.

– não é mole. nunca chega a minha vez. o pior é que não bebia, não fumava, mas comecei a sentir pressão alta e veio a doença. mas não desisto. vou em frente – garante joão, que é mestre de capoeira há 12 anos, já deu aulas na alemanha, holanda, frança, além de fabricar atabaques, pandeiros, agogôs e berimbaus para reforçar seu orçamento mensal.

Tributo ao mestre e os amigos da capoeira continuam fiéis ao professor, de 57 anos, que ganhou o apelido do ex-atleta joão do pulo por causa de seus incríveis saltos nas rodas de capoeira.

Com o objetivo de sensibilizar um doador compatível com o mestre, alunos e amigos de farão hoje uma roda de capoeira em prol do mestre, na rocinha. uma rua será interditada, e haverá, também, roda de maculelê, puxada de rede e samba de roda.

– fico muito emocionado com a iniciativa deles, mas não poderia esperar outra coisa desse povo maravilhoso da capoeira – orgulha-se o mestre, reconhecido no brasil e no exterior.

Fila tem 1.242 pacientes segundo a secretaria estadual de saúde, só este ano foram realizados, no rio, 87 transplantes de rim e 1.242 pacientes que sofrem de insuficiência renal aguda estão na fila para receber a doação do órgão de uma pessoa que, por ventura, morrer.

A secretaria informou ainda que pacientes do programa de dispensação de medicamentos especializados, do sus, que fornece remédios gratuitos a pessoas com doenças crônicas, não os encontram alguns compostos disponíveis causa do aumento da demanda de um mês para o outro. – houve vezes em que não consegui os remédios de graça. estavam em falta. mas, os amigos da capoeira me ajudaram e comprei. cada vez mais amo a capoeira – diz joão do pulo.

Doador vivo é o ideal por isso, a mobilização dos capoeiristas em conseguir para joão do pulo um doador vivo. uma conquista que, segundo o médico eduardo rocha, presidente da sociedade de nefrologia e coordenador da c entral de transplantes do estado, seria ideal.

– porque os órgãos retirados de pessoas vivas têm menos isquemia (ausência de sangue) e funcionam mais rápido na pessoa transplantada do que órgão retirados de pessoas mortas, que às vezes ficam 24 horas no gelo à espera de um doador – informa eduardo rocha.

O médico, no entanto, afirmou que a pessoa viva só pode doar um órgão a um familiar até, no máximo, com quarto grau de parentesco.

– isso porque a constituição proíbe o comércio de órgãos entre pessoas que não tenham até esse grau de parentesco – explica o médico. ajuda – capoeiristas de todo o rio ajudam joão.